Vamos molhar as patas no Adriático?

Cão português que goste de praia tem vida difícil durante o Verão, mas não é assim em todos os países.

Enquanto o cão português faz “Ão, ão”, o cão italiano faz “Bau, bau”. Não estranha, por isso, que muitas das praias italianas que dão as boas-vindas aos canídeos, acompanhados pelos respetivos donos, tenham “Bau” no nome – “spiaggia Bau Bau”, “Spiaggia Bau”, “Bau Bau Village”.

Há algumas com nomes mais originais, embora igualmente elucidativos, como “La Spiaggia di Pluto” ou “La Spiaggia di Snoopy”.

Deveríamos tê-lo dito antes mas, chegados a este ponto, já deu para perceber que ‘spiaggia’ é praia em italiano. E praia é algo que os humanos de Itália, no Verão, não reservam só para eles, ao contrário do que acontece por cá, onde a norma é a proibição de cães nos areais concessionados durante a época balnear.

De norte a sul, no país em forma de bota, há praias que são feitas a pensar em cães e donos que queiram ir à praia juntos. Além de areia e mar, os clientes de quatro patas têm espreguiçadeiras de diferentes tamanhos à disposição, recipientes com água (algumas praias até têm biscoitos), veterinário se necessário, duches de água quente e fria, circuitos para gastarem energia.

Assim podem ir, realmente, de férias com os donos para a praia. O direito de pôr as patas na areia depende, quase sempre, apenas da apresentação do boletim de vacinas em dia e do pagamento do bilhete de entrada. Mas a entrada que pagam (aliás que os donos lhes pagam e que pode chegar aos 40 euros por dia) não lhes é cobrada por serem animais.

O conceito é estranho aos olhos de um português, mas em Itália a entrada na maioria das praias é paga, mesmo para as pessoas.

Voltando aos cães, algumas regiões italianas proíbem-lhes os banhos de mar, mesmo dentro de praias caninas. Nestes casos, as concessionárias oferecem-lhes como alternativa, por norma, uma piscina de água doce.

Em Portugal, no ano passado, algumas centenas de pessoas assinaram uma petição ‘online’ com vista à criação de uma praia canina no Algarve, em Loulé. Se Portugal ainda não parece ter entrado na onda das praias para cães, o mesmo não se pode dizer, por exemplo, da Croácia.

Talvez inspirado pelo exemplo que lhe chega do outro lado do Adriático, este país criou a sua primeira praia canina, em Crikvenica. A novidade está a ser um verdadeiro sucesso, como podes ver na reportagem que te deixamos em seguida. Os croatas capricharam. No bar servem-se até gelados e cerveja para cães, com ingredientes como galinha e manteiga de amendoim.

Já agora, como é que fazem os cães croatas, alguém sabe?   

Deixa o teu comentário.

O teu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

O seu endereço de email não será publicado.