Ciência 21 fevereiro 2017
O arco-íris de fogo é um fenómeno ótico muito raro | Foto: Matt Hecht/Creative Commons

Ontem os habitantes de Singapura tiveram o privilégio de ver um. Mas, o que é preciso para este fenómeno ocorrer?

Ontem à tarde, os habitantes de Singapura foram surpreendidos por um deslumbrante fenómeno ótico atmosférico e "pintaram" as redes sociais de várias cores ao publicarem fotos do que viram.

O que eles viram foi um tipo raríssimo de arco-íris, mais pequeno e mais largo que o tradicional, que só se produz mediante a conjugação de determinadas condições. Aliás como acontece com o arco-íris que estamos habituados a ver, que só ocorre quando o sol brilha e ao mesmo tempo chove, pois só nestas circunstâncias a luz do sol, ao atravessar as gotas de água, pode decompor-se nas sete cores que a formam.

 

O arco-íris de fogo precisa de condições diferentes para se verificar: o sol tem de estar alto no céu e tem de haver nuvens cirros. As nuvens cirros são nuvens que se formam na alta troposfera (a mais de 10 mil metros de altitude), em temperaturas inferiores a zero graus, e contêm cristais de gelo microscópicos.

Se o arco-íris tradicional resulta da refração da luz em gotas de água, este arco-íris de fogo resulta da refração da luz em cristais de gelo contidos nas nuvens.

 

Este fenómeno ótico também é conhecido por arco circum-horizontal ou por nuvem iridescente (adjetivo de origem grega referente a algo que reflete as cores do arco-íris).

Os habitantes de Singapura puderam vê-lo durante cerca de 15 minutos a partir de qualquer parte do território, situado no sudeste asiático.

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar