Desporto 15 fevereiro 2017
Prestação a solo de um participante nos Wind Games | FOTOS: WINDGAMES 2017 WINDOOR EMPURIABRAVA, SPAIN

Em Espanha tem o nome de 'voo indoor' e há cada vez mais praticantes federados.

No início deste mês, os vídeos de uma competição original que teve lugar em Espanha, os Jogos de Vento (ou 'Wind Games'), tornaram-se virais.

Quem os viu, ficou fascinado com o desempenho de atletas - como a jovem de 14 anos Kyra Poh, de Singapura - que voavam, dançavam e faziam acrobacias no ar, sustentados por ventos artificiais que chegam a ir além dos 200 quilómetros por hora.

Em inglês, esta modalidade tem um nome que ajuda a perceber melhor do que se trata: 'indoor skydiving' (paraquedismo indoor).

 

De facto, muitos dos praticantes deste desporto que ainda não chegou a Portugal (por cá ainda não dispomos de nenhum túnel de vento onde se possa praticar a modalidade) são paraquedistas, que têm nestes túneis de vento verticais uma excelente forma de praticarem acrobacias e manobras, simulando um salto de paraquedas.

Os túneis de vento já existem há muito tempo. Pensa-se que o primeiro terá sido inventado por um engenheiro militar inglês no século XVIII.

O uso tradicional desta infraestrutura prende-se com a investigação aerodinâmica. Permite compreender, em ambiente controlado, o efeito do movimento do ar em objetos sólidos, como aviões, por exemplo.

 

Os túneis de vento com fins recreativos e desportivos são bem mais recentes. Foi no final do século passado, na América do Norte, que os primeiros humanos começaram a voar graças a estruturas como esta. Mas os túneis de vento só se tornaram conhecidos este século, há pouco mais de uma década.

Em 2006, a cerimónia de encerramento dos Jogos Olímpicos de Inverno de Turim (Itália) mostrou ao mundo esta possibilidade de voar graças a um túnel de vento. 

Uma das estrelas dos 'Wind Games', realizados a 3 e 4 de fevereiro em Empuriabrava, na Catalunha, falou com a BBC sobre o desporto. Kyra Poh, de 14 anos, vencedora de duas medalhas de ouro na competição, disse que o voo indoor é exigente. Treina três vezes por semana durante duas horas, ao longo das quais entra várias vezes no túnel - cerca de três minutos de cada vez, dado ser exaustivo estar lá dentro.

"Neste desporto, usamos todos os músculos, até mesmo aqueles que não sabíamos que tínhamos", contou à BBC.

Verónica Campà, do 'Windoor Real Fly Empuriabrava', onde se realizaram os 'Wind Games', nota que "cada vez mais gente se interessa, conhece e decide praticar o voo indoor". Reflexo disso é, acrescenta, o "grande aumento de túneis de vento no mundo nos últimos três anos".

 

Os 'Wind Games' são realizados pela empresa onde trabalha e têm grande afluência de  "voadores internacionais". Mas existe já um  Campeonato Mundial de 'Indoor Skydiving' que se realiza todos os anos num país diferente (o último teve lugar na Polónia).

O 'Windoor Real Fly Empuriabrava' foi o primeiro túnel de vento aberto ao público de Espanha. Foi inaugurado em 2012. Hoje, o país tem mais dois abertos ao público e outros dois e m construção.

 

Não é preciso ser atleta para ter esta experiência de voo dentro de um túnel vertical. E não há grandes limites. Em Empuriabrava há pessoas de todas as idades a voar. Até crianças de 4 anos o podem fazer. Para principiantes, a entrada, com direito a aula, acompanhamento por instrutor e dois voos, custa 49 euros.

Se decidires tornar-te "voador" profissional fica a saber que podes competir em várias categorias - a solo, em equipa, em estilo livre (acrobacias e coreografia) ou velocidade (executar o maior número de movimentos no menos número de tempo), entre outras.

Sentes-te capaz? Se sim, vê neste site os sites do mundo onde podes levantar voo.

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar