Dicas 09 maio 2017
São Pedro do Sul é conhecida sobretudo pelas Termas | Foto: D.R.

Águas termais, serras e vales profundos, rios de águas cristalinas, um geoparque e uns passadiços mágicos (os do Paiva). Que mais pedir?

É São Pedro do Sul que lhe dá nome, mas a Pousada de Juventude está situada a meia distância entre esta simpática cidade e Vouzela, numa posição altaneira que permite vistas privilegiadas para o verde envolvente. 

Após uma noite embalada pelo cantar dos grilos e um pequeno-almoço reconfortante é hora de partir à descoberta. Em redor da Pousada, o “Trilho do Vouga” é um bom anfitrião para um primeiro contacto com a zona. Um banho relaxante e lá vem o almoço para repor as calorias gastas. Tens a "Padaria/Pastelaria D. Afonso Henriques", para uma refeição mais frugal ou, para uma refeição mais revigorante e com gastronomia regional, "O Telheiro da Ana" ou a "Adega do Ti Joaquim".

Se seguiste a segunda opção, então em seguida o melhor é fazeres mais um passeio, desta vez pela antiga linha do comboio, até ao Lenteiro do Rio, em S. Pedro do Sul (onde confluem os rios Sul e Vouga), ou até Vouzela (uma vila pitoresca e sossegada que te brinda com uma iguaria: os pastéis que levam o seu nome). Independentemente da opção que tomes, o percurso é fácil e tem cerca de três quilómetros.

Se o passeio matinal tiver sido já suficiente, parte então à descoberta de São Pedro do Sul. No Museu do Balneário Rainha D. Amélia tens à espera uma viagem pela evolução histórica dos tratamentos termais. Há aparelhos vários, banheiras, duches e até fardas!

Ainda neste capítulo histórico inclui-se a “Piscina de D. Afonso Henriques”, assim chamada por se pensar que o rei frequentou as termas para se curar, devido às propriedades das suas águas, a uma fratura provocada na Batalha de Badajoz.

Como vês, estas foram umas termas muito queridas dos monarcas portugueses (também D. Manuel I as frequentou). Mas a sua origem é bem anterior à nacionalidade. Têm origem romana e são, deste tempo, umas das mais bem conservadas em Portugal.

Mas além das ruínas, há termas mesmo e podes fazer uma massagem geral para te sentires renovado e te abrir o apetite para o lanche (saboreia um “vouguinha”!).
 
Na envolvência, o Maciço da Gralheira - constituído pelas serras de S. Macário, Arada e Freita - é uma caixinha de surpresas. Descobre as aldeias típicas da Pena, Drave, Gourim, Fujaco e Covas do Monte, os miradouros do S. Macário e Portal do Inferno, as zonas balneares, de águas muito límpidas e refrescantes, como Nodar, Poço Azul e Poço Negro.

Um dia, verás, sabe a pouco. Para saciar a fome, o restaurante “Salva Almas”, em Macieira, é uma boa opção, mas fazer um ‘pic-nic’ na serra, não é menos aprazível.
O Geoparque de Arouca, nas imediações de Manhouce, é um ‘top’. Fenómenos geológicos como as Pedras Parideiras, os Campos de Dobras, as Trilobites e a Frecha da Mizarela ficam para sempre gravados na memória.

Desfrutar dos Passadiços do Paiva, um percurso pedestre, com cerca de 8,7 quilómetros, suspenso na margem do Rio Paiva, é também algo de inesquecível. Vislumbram-se rápidos, cristais de quartzo e espécies em extinção na Europa.

Nesta ou noutra oportunidade, o Circuito da Penoita, em Vouzela, levar-te-á ao encontro da Serra do Caramulo. Curva à esquerda, curva à direita, sempre rodeados de verde e frondosa vegetação, chegamos a Ventosa. Aqui, o miradouro do Gamardo vai deliciar-te com uma bela paisagem sobre o vale do Rio Vouga.

Continuando encontras o Parque das Merendas da Penoita. É hora de parar e desfrutar do almoço, num espaço deslumbrante que consiste numa mancha de Carvalhos. Mais à frente, ainda, o Dólmen da Malhada de Cambarinho.
E por falarmos de Cambarinho, a Reserva Botânica constitui a maior mancha da Península Ibérica de ‘Rhododendron Ponticum L, SSP Baeticum’, vulgo loendros, no seu habitat natural. Na época da floração, entre Maio e Julho, esta bacia hidrográfica fica coberta por uma mancha de arbustos de um verde carregado, com flores púrpuras. Um regalo para quem vê.

Na vertente sul da Serra do Caramulo, a uma altitude superior a 1000 metros, encontramos Fornelo do Monte, freguesia que nos proporciona o contacto com aldeias tipicamente beirãs, com destaque para Adsamo e Covas.

Tomando a E.M. 1308, como guia, entramos nos domínios da Senhora do Castelo. Terminamos com a subida ao Monte do Castelo e repousamos o olhar sobre a envolvência.

Mas não ficamos por aqui. Há muito mais a descobrir. Agenda, contacta a Pousada, mune-te de roupa e calçado confortável e parte nesta aventura connosco.

Pousada de Juventude de São Pedro do Sul
Preço: Desde €11/noite

(*) Este artigo foi escrito no âmbito da parceria entre o Jornalíssimo e as Pousadas de Juventude. Todas as terças publicamos um artigo sobre uma Pousada diferente.

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar