Educação 30 novembro 2016
Quem disse que a tabela periódica tinha que ser aborrecida? | Foto: http://elements.wlonk.com

Um desenhador norte-americano lembrou-se de associar os vários elementos químicos à sua utilização prática.

Há alguns elementos cujo uso todos sabemos de cor. É fácil associar o hélio ao voo dos balões, o fluor à pasta de dentes, a prata às jóias. Mas, e se falarmos de elementos como o crómio, o boro, o gálio, o tântalo ou o estrôncio? Aí, este jogo de associar elementos químicos a objetos que usamos no dia-a-dia talvez fique mais complicado.

Apesar de ser fácil compreender a sua importância, a tabela periódica, inventada em 1869 pelo russo Dimitri Mendeleiev, não é propriamente agradável de estudar. Este quadro cheio de letras e números é mesmo uma grande dor de cabeça para muitos estudantes de química.

Felizmente um norte-americano acaba de o tornar um pouco mais apelativo para o estudo. Keith Enevoldsen, de Seattle, desenhou uma tabela periódica que associa imagens aos elementos químicos.

 

Exceto àqueles que são sintéticos, ou seja, que foram criados pelo homem e são altamente radioativos, como os quatro últimos elementos químicos que a União Internacional de Química Pura e Aplicada aceitou para integrarem a tabela, há cerca de um ano (elementos que existem apenas por segundos ou milésimos de segundo).

Keith Enevoldsen construiu um site (http://elements.wlonk.com) em que disponibiliza 'pdfs' da tabela que fez, para impressão. Neste endereço eletrónico, apresenta, também, uma versão interativa. Basta clicar num determinado quadrado para ver a sua ficha ampliada, com uma imagem associada, alguns dos seus usos escritos e informação específica sobre o elemento em questão (foto acima).

À BBC, o autor da ideia, um desenhador de 60 anos, disse ter feito a tabela que gostaria de ter tido quando era criança. Keith Enevoldsen pensa que este seu trabalho vai ajudar os alunos a ganharem interesse pela tabela e a lembrarem-se mais facilmente da utilidade de cada elemento.

Antes de terminarmos, deixamos as imagens associadas aos elementos cuja aplicação questionámos no início deste artigo. Ao crómio, Enevoldsen associou a imagem de talheres; ao boro, uma raquete de ténis; ao gálio, um rádio despertador com LEDS; ao tântalo um telemóvel e, ao estrôncio, o fogo-de-artifício.

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar