Educação 10 janeiro 2017
A ciência usada como ferramenta de inclusão | Foto: Steve Snodgrass/Creative Commons

Então o projeto Key 1.0. pode interessar-te. Promove a inclusão através da ciência e da discussão.

O 'Key 1.0'. é finaciado pelo programa INTEGRA, Ciência para a Inclusão, da Ciência Viva, e tem como objetivo promover a inclusão social de migrantes e refugiados através da ciência.

Sim, a ciência pode ser uma boa forma de combater o racismo e a discriminação, nomeadamente a partir da discussão entendida como método de aprendizagem. Uma discussão assente no respeito.

Se tens algum colega vindo de outro país a estudar contigo e frequentas o 3º Ciclo ou o Ensino Secundário, então a tua turma tem o perfil pretendido para participar neste programa.

Para tal, tens de encontrar um professor ou uma professora de ciências (fisico-química, biologia, matemática...) que esteja interessada em juntar-se ao 'Key 1.0.'.

Para poder implementar esse projeto na turma, o professor terá de participar na formação 'Aprendizagem pela Discussão na Escola', que vai decorrer no dia 21 de janeiro entre as 10 e as 18 horas em Matosinhos, no Centro Incentivar a Partilha.

Será o professor, depois, a levar o projeto para a turma, que irá aprofundar um tema de física de uma forma inovadora, discutindo com os colegas e registando as várias etapas do processo.

A aprendizagem, aqui, vai além da ciência. A aprendizagem científica é feita em simultâneo com a aprendizagem e compreensão do próprio fenómeno da migração, outro tema a ser discutido pela turma.

Os jovens migrantes assumirão o papel de porta-vozes desse projeto, que se deverá desenvolver sempre num clima saudável, de colaboração. Serão responsáveis por relatar todo o processo em vídeo, quer em português, quer da sua língua materna.

Podes obter mais informações sobre este projeto no blogue de Key 1.0.

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar