Jornal 2 14 junho 2017
O "Pop Galo" de joana Vasconcelos | Foto: Bosc d'Anjou/Creative Commons

Vê as respostas à pergunta que colocámos a propósito do 10 de junho.

Ana Eduarda, 19 anos: “Gosto porque somos um povo de muita cultura, temos a melhor gastronomia, coisas bonitas, como monumentos e palácios.”

Carlos Costa, 22 anos: “Gosto! Não dá para explicar o sentimento. Somos pessoas de grandes feitos.”

Cláudia Martins, 22 anos: “Claro que sim! Por tudo. Pela comida, pela língua, por termos o cantinho que temos, pelo nosso povo (uma variedade de culturas dentro de uma cultura – os do norte têm uma personalidade, os do sul outra). Eu adoro ser portuguesa e ser do norte.”

Daniela Ferreira, 21 anos: “Sim! Nunca fui de outra nacionalidade! Temos um país bonito.”

Francisca Vale, 19 anos: “Gosto e tenho orgulho. Gosto da nossa cultura, das nossas tradições, como o fado e a gastronomia. Há coisas de que não gosto, como o futebol, as touradas e Fátima.”

Gaspar Cunha, 20 anos: “Até gosto! Sendo pequeno temos tantas personalidades de renome, não só no desporto como noutras áreas, o Guterres e o Durão Barroso na política, por exemplo.”

Gonçalo Areias, 20 anos: “Gosto muito. Apesar de pequeno conseguimos atingir níveis de sucesso em vários campos, e temos boa comida, e somos um povo trabalhador.”

Inês Boticas, 22 anos: “Gosto. Distinguimo-nos em quase todas as áreas.”

Joana Carvalho, 20 anos: “Gosto. Claro que sim! Gosto do país onde vivo por causa do clima, das pessoas, da comida. Lá fora as pessoas não têm nada a ver com o que são aqui, aqui são mais afetivas. Os invernos não são tão frios como noutros países e é um país seguro. O único problema em Portugal é a falta de emprego que faz as pessoas irem para fora.”

Joana Lourenço, 19 anos: “Sim, claro! Nós normalmente somos bons, bons trabalhadores, divertidos, também gostamos de preservar as tradições (eu por exemplo ando no rancho) e temos tradições muito bonitas.”

João Carlos Costa, 21 anos: “Com certeza que gosto de ser português, tendo em conta a história. Mas não só, também pela língua, pela gente. Mas no mundo em que vivemos hoje, tão globalizado, não me sinto só um jovem português… é um clichê, mas sinto-me cada vez mais um cidadão do mundo. Faz muito sentido aquela canção do John Lennon, o ‘Imagine’, um mundo sem barreiras e sem fronteiras. Não faz sentido o entrave à circulação de pessoas. Por isso, ao contrário do ceticismo que se vive hoje em relação à União Europeia, acho que esse foi um dos motores da União Europeia.”

Jorge Fernandes, 19 anos: “Tenho orgulho de ser português, pela influência que temos no mundo, mesmo sendo um país tão pequeno e visto como insignificante. Somos desenrascados, sabemos receber e damo-nos mais ou menos bem com toda a gente.”

José Nuno Gonçalves, 20 anos: “ Gosto. As pessoas são simpáticas e as praias bonitas.”

Luís Paiva, 22 anos: “Gosto! É já inato, acho, gostamos do país em que nascemos. Apesar de muita gente pintar o cenário muito preto, não estamos assim tão mal. Estou bem onde estou.”

Manuel Carvalho, 20 anos: “Gosto. Já estive fora do país, na Lituânia, e ouvi toda a gente a falar bem de Portugal: da comida, do vinho, do turiso, do Porto.”

Matilde Coutinhas, 20 anos: “Gosto. Acho que somos um povo caloroso. Gosto do clima, das pessoas (simpáticas) e a nossa língua é uma das mais bonitas.”

Nuna Dionísio, 19 anos: “Não consigo defender a 100% Portugal, porque acredito que temos muitos pontos fortes, mas ainda há muitos pontos a melhorar. Apesar de tudo, o que eu noto entre mim e o meu ambiente, é que quando comparamos com outros países, aqui sentimo-nos mais seguros, mais protegidos e acompanhados.”

Nuno Correia, 23 anos: “Gosto. Recentemente temos dado muitas cartas em tudo: no futebol, na música, o Guterres na ONU… Em quase todas as áreas somos bons, é um motivo de orgulho. Claro que há coisas más também. O estado da política no nosso país, por exemplo. Mas isso não é um exclusivo de Portugal, é em toda a Europa.”

Patrícia Araújo, 18 anos: “Gosto! Não nasci em mais lado nenhum! Tenho orgulho porque vejo os feitos portugueses. Porém, acho que se Camões ressuscitasse iria querer voltar para a cova. Isto agora a nível de economia e políticos forretas está muito mal.”

Paula Freire, 25 anos: “Gosto. Tenho muita pena que os portugueses não gostem muito de ser portugueses, queixam-se muito de serem portugueses. Esquecem-se dos nossos escritores, dos feitos históricos, da gastronomia, da qualidade musical. Só gostam de ser portugueses quando estão em disputa com outros países, por exemplo nos Europeus de Futebol ou no Festival da Canção.”

Pedro Costa, 20 anos: “Sou luso-brasileiro. Gosto de Portugal, se calhar porque nasci aqui. Gosto da cultura, das pessoas daqui e acho que Portugal, apesar de ser um país pequeno, tem grandes potencialidades. Estamos em todo o mundo, temos representantes em várias áreas. Além disso, as funcionalidades são boas (a saúde, o ensino…). O único problema de Portugal são os portugueses. Portugal tem tantas coisas boas, mas as pessoas acham que o que é de fora é melhor. Os portugueses queixam-se muito, mas se compararem com o que é de fora, veem que é melhor. Falta analisarem melhor.”

Pedro Oliveira, 21 anos: “Tenho orgulho em ser português. Primeiro porque acho que temos boa qualidade de vida, depois é um país seguro, tem boas perspetivas para o futuro. Já esteve pior e agora está a melhorar. Os outros países veem-nos com bons olhos.”

Renato Veloso, 20 anos: “Bons vinhos, boa praia, boa comida, hospitaleiros.”

Rodrigo Magalhães, 20 anos: “Claro que gosto! Apesar de sermos um país pequeno, temos – e sempre tivemos – influência no resto do mundo.”

Rui Rolo, 21 anos: “Adoro ser português. Não há uma razão para gostar, é intrínseco, está nos genes.”

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar