Jornal 2 07 junho 2017
Sim ou não? | Foto: Quinn Dombrowski/Creative Commons

"Sim, deve", dizem todos. Lê os argumentos.

Afonso Sousa, 15 anos - "Sim. Apesar do Reino Unido sair do Euro temos os E.U.A. que são a grande potência mundial."

Ana Raquel, 16 anos - "Concordo que o inglês continue a ser a língua universal."

Carolina Pedrosa, 15 anos - "Deve porque o inglês é bastante simples de aprender e falar e já está enraizado nas pessoas. As gerações atuais teriam dificuldade em aprender uma língua nova."

Catarina Carneiro, 15 anos - "Acho que deve continuar a ser porque é a língua a que estamos habituados e qualquer outra língua ia ser mais difícil de aprender. O inglês é muito simples e isso acaba por ser bom para toda a gente."

Cláudia Santos, 16 anos - "Deve. Todos os países a deveriam ter como língua, depois das línguas maternas."

Gonçalo Santos, 16 anos - "Deve continuar, ter aprender uma nova (língua) não era uma boa coisa agora."

Hugo Caldeira, 21 anos - "Acho que sim porque o inglês continua a ser falado em todo o mundo, a ser a primeira língua."

Inês Moreira, 16 anos - Não, porque nem todos conseguem falar inglês e hoje em dia qualquer coisa vem em inglês."

Pedro Silva, 15 anos - "Sim, porque há a América e mesmo em África se fala inglês."

Tomás Martins, 15 anos - "Como já foi este tempo todo, agora se mudasse era um bocado difícil, porque já toda a gente se desenrasca em inglês."

Yavor Hadzhiev - "Penso que não faria sentido que o inglês deixasse de ser uma das línguas oficiais da União Europeia por várias razões. Do ponto de vista prático, o inglês é uma língua internacional já bem estabelecida, inclusive no meio digital. É falado por inúmeras pessoas e é ensinado em escolas por todo o mundo. Para muitos europeus de diversas origens, é a única língua que lhes permite trocar ideias e comunicar. Eliminar o inglês como língua oficial da UE iria criar dificuldades desnecessárias, e implicaria deixar de utilizar uma vantagem evidente que essa língua oferece no quadro internacional atual. Em termos políticos, tal decisão poderia ser interpretada como uma retaliação à saída do Reino Unido da UE, o que não faria sentido nenhum. A UE não pode, e não deve, dar-se ao luxo de tomar medidas que podem ter um significado político desse tipo. Ademais, a porta de entrada para a UE não irá fechar-se para o Reino Unido, e penso que ninguém a quer fechar. Mantermos o inglês como uma língua oficial da UE facilitaria as relações entre o bloco e o Reino. De um modo geral, temos de ter o cuidado de preservar todas as línguas europeias, o que implica ter algumas precauções face ao inglês. Mas não podemos olhar para essa língua como uma ameaça em si."

A propósito, sabes quantas línguas há no mundo? E na Europa? Tens a resposta neste artigo. E neste outro podes ficar a saber quais os países em que se fala melhor inglês.

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar