Tecnologia 19 outubro 2016
Guilherme é um adepto da 'Studo' | Foto: D.R.

Um professor criou uma 'app' que torna os trabalhos para casa mais divertidos, lúdicos e interativos.

Os trabalhos para casa, já se sabe, são um assunto controverso. Há quem os defenda, quem se oponha a eles, quem ache que tudo depende do tipo de trabalho para casa.

João Tiago Martins, um professor de 36 anos de Paço de Arcos (foto abaixo) acha que os TPC são "necessários para que a família tenha conhecimento da evolução e das dificuldades das crianças".

O professor tem um "ideal" de trabalhos para casa: "têm de ser rápidos, divertidos, trazer algo de positivo e envolver a família".

A aplicação que criou, a 'Studo', vai ao encontro desta sua visão, mas João Tiago sublinha que "são mais trabalhos em casa do que trabalhos para casa". Porquê? "Porque com a 'Studo' está tudo do lado dos pais", começa por explicar.

A aplicação (disponível, para já, apenas para os clientes 'TV+Net+Voz' da 'Vodafone' de forma gratuita) faz com que os pais possam programar a televisão, para que os filhos só possam ver os seus programas favoritos depois de completarem um conjunto de exercícios escolares.

São os pais que definem os dias, horas e número de perguntas que querem que os filhos respondam antes de começarem a ver televisão. E não vá haver pais tentados a exagerar na dose, João Tiago Martins estabeleceu um número máximo de exercícios que podem ser "prescritos" pelos pais antes de a televisão ficar desbloqueada.

"O máximo são 10 perguntas que não levam mais do que cinco minutos a responder", explica. As respostas são todas de escolha múltipla, escolhidas com recurso ao comando. Caso o aluno falhe, surge no ecrã uma explicação da matéria para que possa responder certo na tentativa seguinte, que lhe é dada de imediato. 

O professor conta que "muitas vezes são os próprios alunos a querem fazer mais exercícios" e essa possibilidade existe. Guilherme (na foto de abertura) é fã da 'Studo'. Todos os dias faz os exercícios durante cinco minutos antes de ver o 'Disney Junior' ou a 'Fuel Tv'. "Gosto de matemática e estou sempre a acertar, não me lembro de ter falhado ainda", comenta orgulhoso.

A mãe, Janaína Araújo, nota que o filho (aluno do 1º ano) já gostava de fazer os TPC, mas que agora "é mais divertido, menos maçudo", tanto para o Guilherme como para os pais: "quando ele acerta (e acerta sempre) ouvimos a voz a dizer 'muito bem, parabéns' e fazemos uma festa com ele".

Guilherme só fala na matemática porque, para já, é a única matéria disponível. Os exercícios são feitos por professores e vão sendo disponibilizados ao longo do ano, de acordo com o Programa Curricular do Ensino Básico.

O professor João Tiago quer alargar o leque de exercícios a outros níveis de escolaridade e oferecer, também, exercícios de português, estudo do meio e inglês.

Para já, está satisfeito com as centenas de utilizadores (milhares, na realidade) que já tiram partido da aplicação que idealizou e com a qual venceu um concurso da 'Vodafone Power Lab' (que também apoiou o Jornalíssimo) para encontrar ideias capazes de inovar o serviço de televisão em Portugal.

E tu, o que achas da ideia?

e-max.it: your social media marketing partner
Voltar