Diz que é uma espécie de bola de cristal do clima

Interessas-te pelo impacto das alterações climáticas em Portugal? O Portal do Clima espera-te.

Entre 2011 e 2040, o Algarve vai ter mais onze dias por ano com uma temperatura máxima do ar superior a 25ºC, comparativamente ao período entre 1971 e 2000.

São prognósticos como este que podes conseguir a partir dos dados disponibilizados no Portal do Clima, ainda com cheiro a novo.

O site, responsabilidade do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), dá acesso a uma série de informações sobre indicadores do clima em Portugal (como a temperatura ou a precipitação) até ao final deste século, de uma forma rápida e fácil de utilizar.

Podes realizar pesquisas tendo em conta todo o território nacional ou seleccionar zonas específicas. 

Convém salientar que não se trata apenas de números – os dados são apresentados, também, sob a forma de gráficos e de mapas.

QUAL É A UTILIDADE?

Os dados de que falamos são uma vasta gama de indicadores climáticos. Uns mais simples (como a temperatura do ar ou o vento à superfície), outros mais complexos (como índices que quantificam o risco de ocorrência de eventos com impactos potenciais significativos, como secas, ondas de calor e de frio, dias com precipitação acima de 50 mm).

São, no fundo, estes diferentes níveis que tornam o Portal útil tanto a um estudante para um trabalho de âmbito escolar, como a um especialista, ao dono de uma empresa ou um político, que precise de conhecer estas previsões a longo prazo para tomar decisões importantes e orientar projetos.

Para o IPMA, fazer um portal de que todos os internautas pudessem tirar partido era uma preocupação, porque “o tema (clima) é cada vez mais do interesse de todos os cidadãos” e porque é importante que toda a população ganhe consciência do impacto das alterações climáticas.

TEMPO DE VANGUARDA

Existe um separador (“Análise e Comparação”) em que podes muito facilmente comparar os mesmos indicadores em períodos diferentes ou comparar dados de indicadores diferentes.

A utilização é fácil e intuitiva, mas, se tiveres dúvidas, basta clicares na secção ‘Tutorial’. Outra secção que pode ser útil é o Glossário, caso desconheças alguma terminologia.

O coordenador de projetos web do IPMA realça que os dados disponíveis “representam a melhor escolha possível com os conhecimentos atuais de modelação climática e tecnologia existente”, embora seja importante ter sempre presente que se trata de dados de prognóstico e, como tal, envolvem sempre uma margem de erro.

PROGNÓSTICOS ATÉ 2100

O meteorologista Ricardo Deus e o investigador Pedro Viterbo explicaram ao JORNALÍSSIMO, por correio eletrónico, como foi possível fazer uma previsão a tão longo prazo. Para entenderes, convém recordar primeiro o que é uma normal climatológica. É o próprio coordenador de projetos web do IPMA, Ricardo Deus, quem explica:

“A normal de um elemento meteorológico é o valor médio desse elemento ao longo de um período fixo de anos (normalmente 30 anos) para um determinado local, região, país ou área geográfica. Num sentido mais alargado, as normais devem consistir num conjunto de estatísticas descritivas, exemplo a média, mediana, o desvio padrão, valores extremos, etc. dos elementos meteorológicos considerados”.

E agora sim a continuação da explicação sobre como o Portal foi construído: “Começámos por obter um clima para 1971-2000 (uma normal climática). De seguida utilizámos um conjunto de cenários climáticos para os períodos 2011-2040, 2041-2070 e 2071-2100. Para cada um dos intervalos de 30 anos, consultámos mais de 12 modelos. De forma a diminuir os erros dos modelos, fizemos uma média de todos os modelos usados. A média tem um duplo objetivo: criar uma evolução climática com a mínima incerteza e produzir uma estimativa do erro nas simulações”, remata Ricardo Deus.

CONHECIMENTO NACIONAL

Os dois parceiros do IPMA na construção deste novo Portal são portugueses.

A ‘Gisgeo’ foi responsável pela integração dos dados resultantes dos modelos numéricos no portal de internet, permitindo aos utilizadores consultarem, por exemplo, a representação dos dados nos mapas dinâmicos.

A ‘Eurotux’ trouxe aos projeto as suas competências na área de implementação, gestão e monitorização dos sistemas informáticos.

UMA CURIOSIDADE

Sabes qual é o site português da administração pública que lidera, há sete anos, o ranking dos mais visitados?

O site do IPMA é a resposta certa. O dado confirma que os portugueses se interessam por informação meteorológica. Será que se interessam, também, por informação climática? O Portal do Clima vai ajudar a perceber.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *