6 Dicas para ajudares a diminuir a temperatura terrestre

O mês de abril registou temperaturas inéditas e 2016 pode vir a ser o ano mais quente de sempre.

Oxalá o termómetro que mede a temperatura da Terra e dos oceanos estivesse avariado e o nosso planeta não estivesse a transformar-se num forno a cada dia que passa.

Mas os dados são fiáveis (têm o carimbo da NASA) e assutam. Abril bateu novo recorde, continuando a tendência registada em janeiro e fevereiro: foi, outra vez, o mês (de abril) mais quente de que há memória.

Abril foi, também, o sétimo mês consecutivo em que se registaram aumentos de temperatura superiores a 1 grau Celsius (relativamente à média do período que vai de 1951 e 1958, intervalo de tempo que a NASA usa como referência para medir as alterações climáticas).

Pela amostra (dados de janeiro a abril), muitos estudiosos do clima preveem que 2016 seja, pelo segundo ano consecutivo, o mais quente de sempre.

Com a Terra a viver uma situação de “emergência climática” (marcada por mais fenómenos metereológicos extremos, escassez de alimentos e água, extinção de muitos ecossistemas…), deixamos-te 6 ideias para fazeres a tua parte na diminuição do aquecimento global.

1) Muda o foco! Lembra-te que vives numa sociedade de consumo e que uma boa parte da raiz do problema do aquecimento global se relaciona com a forma de vida das sociedades modernas. Nelas, tudo incita à compra, ao consumo e passa-se a ideia de que a felicidade está ligada aos bens materiais. Adota uma perspetiva crítica: será mesmo assim? Ou será esta mensagem uma estratégia destinada a vender? A tua reflexão poderá ajudar o mundo. E assim passamos à dica seguinte, relacionada com esta;

2) Reduz nas compras! Dos 3 Rs – Reduzir, Reciclar, Reutilizar -, o primeiro é o mais esquecido. Com os bens a preços acessíveis e um marketing agressivo, somos muitas vezes levados a comprar coisas de que não necessitamos e cuja produção aumenta a libertação de gases com efeito de estufa. Pergunta obrigatória antes de abrir a carteira: “Preciso mesmo disto?!”;

3) Poupa energia! Há formas fáceis de o fazer que são, acima de tudo, uma questão de alterar hábitos. Exemplos? Desligar o computador quando não o estamos a usar; fechar a água enquanto escovamos os dentes ou nos ensaboamos durante o banho; apagar as luzes quando não estamos a precisar delas; na hora de comprar, opta por lâmpadas e eletrodomésticos de baixo consumo;

4) Deixa o carro em paz! Para quê pegar no automóvel quando a distância é pequena e pode até proporcionar-te um passeio agradável? Ou ter de andar às voltas à procura de estacionamento quando há transportes públicos? Se o uso da viatura for indispensável, tenta não conduzir “à campeão”. Acelerar e travar não só gasta mais combustível como polui mais;

5) Cuidado com as impressões! Antes de carregar no botão ‘imprimir’ pensa se tens realmente de o fazer. A desflorestação é a causa de muitos problemas que estão a afetar o planeta e a provocar o aquecimento global (a vegetação tem um papel fundamental no controle das temperaturas). Se tiveres mesmo de imprimir, tenta usar a folha dos dois lados;

6) Não estarás a abusar da carne? Não é preciso tornares-te vegetariano, mas reduzir o consumo de carne pode dar uma grande ajuda. Sabias que a indústria agropecuária é uma das principais responsáveis pela poluição e pelo desperdício de energia e recursos? 

Não te esqueças: da mesma forma que foi o comportamento humano a provocar o aquecimento global, são as ações somadas de todos nós que fazem a mudança. O acordo saído da COP21, a grande conferência do clima realizada em Paris no final de 2015, só é possível se todos colaborarmos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *