“Elysia Chlorotica”: um animal que realiza a fotossíntese

Esta excêntrica lesma marinha em forma de folha tem uma capacidade que se julgava exclusiva do reino das plantas.

A Elysia Chhlorotica não tem sequer o tamanho de uma mão, mas consegue uma proeza de meter inveja aos seus companheiros do reino animal – é capaz de realizar a fotossíntese.

Mas a fotossíntese não é um dom reservado a plantas e algas?

A Elysia Chlorotica, que vive na costa Atlântica dos Estados Unidos, prova que não. Ou, pelo menos, confirma o ditado da exceção que confirma a regra.

PLANO B

A capacidade surge a este animal depois de comer uma alga, a “Vaucheria litorea”, que funciona como uma poção mágica para este molusco, pois permite-lhe assimilar os cloroplastos.

Os cloroplastos (presentes no citoplasma de células de plantas e algas) têm uma pigmentação de clorofila, essencial para a realização da fotossíntese.

E podia tratar-se apenas de um capricho desta pequena criatura, que até faz lembrar a folha de uma árvore, mas não. A fotossíntese é-lhe realmente útil. Quando não encontra alimento, aciona um ‘plano b’: faz como as plantas e aproveita a luz do sol para produzir energia.

UM CURIOSO ADN

A proeza desta lesma marinha já tinha sido descoberta há alguns anos, mas os cientistas queriam entendê-la melhor.

Um investigador norte-americano, Sidney K. Pierce, descobriu recentemente que ela possui um gene de alga no seu ADN, responsável por que os cloroplastos funcionem.

Um mistério permanece: como se processou essa transferência de genes de uma alga para um animal? Essa é a questão que se segue e que poderá fazer evoluir a medicina que, não raras vezes, se inspira no ‘funcionamento’ da natureza para avançar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *