Artes 12 maio 2015
O artista belga quebrou o cinzentismo da prisão | Foto: David Mesguich/Facebook

Com os seus murais, o artista belga David Mesguich deu um pouco mais de cor a uma cadeia de Marselha.

Mesguich soube, desde cedo, o que era uma prisão. Quando era adolescente, o pai esteve detido numa das piores cadeias francesas, em Marselha. Ele ia visitá-lo regularmente e a memória daquele espaço cinzento, desumanizado, sempre o acompanhou. 

Este ano, voltou à mesma prisão que visitava em jovem, a prisão de Baumettes, para tornar mais coloridos os dias de quem lá vive. Cinco prisioneiros ajudaram-no a pintar dois murais de grandes dimensões.

"Queria mostrar aos prisioneiros que as coisas belas e positivas ainda podem sair deles", disse Mesguich ao jornal Huffington Post. Outro dos seus objetivos era o de levar "humanidade a um lugar onde ela falta". 

Executar o trabalho não foi fácil. Mesguich estava proibido de usar escadas para pintar as partes mais altas do mural quando os prisioneiros estavam com ele e, aos presos, só foram concedidas duas horas para ajudarem Mesguich a elaborar as pinturas.

Se quiseres saber mais sobre o trabalho do artista clica aqui.

e-max.it: your social media marketing partner
Voltar