Teatro robótico: programar para subir ao palco

Aprender programação informática já é aliciante, mas torna-se ainda mais quando o objetivo é pôr robots a fazer teatro.

Aqui ao lado, na vizinha Espanha, em Murça e Alicante, acaba de acontecer o II Ciclo de Teatro Robótico “Programa Tu Obra”.

A ideia de o realizar partiu de uma empresa espanhola, ‘El Caleidoscopio’, que está sempre à procura de formas originais de promover a cultura da ciência e da tecnologia.

Em parceria com a Universidade Miguel Hernández de Elche, conseguiu envolver a comunidade escolar das duas cidades numa forma bem divertida de aproximação à tecnologia.

Mais de 2500 alunos (e muitos professores também) de dezenas de escolas secundárias foram incentivados a aprender programação informática para participar num ciclo de teatro robótico.

A iniciativa levou meses a ser preparada e envolveu variadíssimas áreas disciplinares. A informática é a mais óbvia, mas para programar é preciso dominar o inglês, para criar cenários e fazer o guarda-roupa dos robots foi necessária a colaboração dos professores de artes (música incluída) e, como não há teatro sem enredo, houve que trabalhar ainda a escrita.

Em grupos, os alunos trataram de todas as vertentes necessárias para fazer uma peça de teatro ou uma curta-metragem. Aliás, a maioria optou pelo cinema. O resultado foi oito espetáculos de teatro e quarenta curtas. Em ambas, era obrigatório que os atores de carne e osso contracenassem com os robots.

Uma das equipas fez uma versão robótica da obra de Shakespeare “Romeu e Julieta”. Chamou-lhe “Amor em tempo de robots”. O prémio foi para uma curta-metragem intitulada “Jogada de cabos”, que ainda não está online. Deixamos-te com uma das curtas que participou no concurso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *