Imaginas-te a ter apenas duas horas de luz por dia?

É isso que acontece no inverno em Umeä, uma cidade sueca, onde uma escola secundária instalou lâmpadas que simulam a luz solar. 

As poucas horas de luz são um problema para quem vive na Suécia. Se, no verão, há o sol da meia-noite e os dias parecem não ter fim, no inverno acontece o oposto: está escuro durante quase todo o dia.

A privação de luz solar tem consequências na vida dos suecos. A maioria da população sofre de problemas associados a esta realidade, como distúrbios de sono, depressão ou cansaço. 

Quanto mais perto se está do Círculo Polar Ártico, mais pequenos os dias são nesta altura do ano. 

Em Umeä, uma cidade no norte do país, chega a haver dias completos de escuridão. Quando há luz, ainda que durante pouco tempo, os estudantes estão dentro da escola, o que os impede de recebê-la diretamente. 

Preocupados com os mais jovens e com o impacto que a ausência de iluminação natural tem no seu rendimento escolar, a companhia elétrica regional, a Umeä Energi, instalou lâmpadas que imitam a luz solar em várias salas de aula e na cantina de uma escola secundária, a Dragonskolan. 

BOCEJOS AOS MILHARES

Olhando, parecem lâmpadas vulgares, mas a luz mais brilhante que emitem deixa perceber a diferença. Ao contrário das normais, estas foram feitas de modo a oferecer um espetro de comprimento de ondas de luz completo e também libertam vitamina D, importante para a produção de neurotransmissores, como a serotonina e a dopamina, aliados da boa disposição. 

Ainda é cedo para avaliar os resultados, mas entre os alunos há quem já note diferenças. “As lâmpadas ajudam a manter-me acordado e a trabalhar melhor”, disse um aluno de 18 anos, Benjamin Berkgnholn, ao jornal sueco The Local. 

A luz é completamente inofensiva, pois a radiação foi filtrada. E estas lâmpadas têm outra particularidade: são alimentadas com energia solar acumulada pelos painéis da Ulmeä Energi durante o verão. Cem por cento sustentáveis, portanto.   

Ficar a dormir numa aula, em Umeä, não é motivo de troça especial. Acontece com frequência. Tal como bocejar. A companhia elétrica diz que os 2000 alunos e professores da escola, em conjunto, bocejam 15384 vezes por dia. Será que a fototerapia vai acabar com o sono na escola?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *