A primeira imagem a cores captada pelo Perseverance em Marte | Foto: NASA/JPL-Caltech

Já houve vida microbiana em Marte?

Responder a esta pergunta é a principal missão do Perseverance, recém-chegado ao planeta.

Depois de vários meses de viagem, desde que a 30 de julho de 2020 foi lançado do Cabo Canaveral (Flórida, E.U.A.), o rover Perseverance, da Agência Espacial Norte-Americana, chegou finalmente a solo marciano.

A aterragem correu como planeado. E se aterrar em Marte já não é tarefa fácil – das várias naves espaciais que os humanos tentaram enviar para o planeta desde a década de 60 do século passado só cerca de 40% foram bem-sucedidas -, desta vez o desafio era ainda maior. O local escolhido para o robô pousar foi uma cratera, a Jezero.

A fotografia que encabeça este artigo foi a primeira a cores e em alta resolução a ser enviada para a Terra pelas câmaras situadas na parte inferior do veículo, depois de este ter pousado na superfície de Marte, a 18 de fevereiro. Desde então, o robô já nos brindou com outras imagens – vídeos até -, que se podem ver no site da NASA.

A vez da astrobiologia

Sendo, está visto, um bom fotógrafo, a missão do Perseverance vai muito além de nos fazer chegar imagens do planeta vermelho. O robô tem como principal objetivo descobrir sinais de que houve vida microbiana naquele planeta.

Apesar de hoje as temperaturas em Marte alcançarem centenas de graus abaixo de zero e de não existir água em estado líquido, missões anteriores da NASA recolheram dados que apontam para que, no passado, houve água naquele planeta e que, portanto, as temperaturas não eram assim tão baixas.

A astrobiologia, ou seja, o estudo da vida no universo, está por isso no centro desta missão. Mas as tarefas do Perseverance não se ficam por aí: os instrumentos científicos de ponta que compõem o robô vão também contribuir, por exemplo, para saber mais sobre a geologia e o clima em Marte ou para perceber se é possível produzir oxigénio naquele planeta. Algo importante se pensarmos que há já humanos a preparem-se para viajar até lá.

Um voo de estreia noutro planeta

Outra curiosidade desta missão é que ela irá coletar rochas de Marte. Numa missão futura da NASA e da ESA, a Agência Espacial Europeia, essas amostras serão enviadas para Terra para poderem ser devidamente estudadas (algo que só está previsto acontecer daqui por dez anos).

Mas não se pode falar no Perseverance sem mencionar o Ingenuity, que já faz história. Trata-se de um helicóptero que é uma novidade absoluta em missões espaciais: nunca uma aeronave foi até hoje enviada para outro planeta. Para sabermos do sucesso da sua tentativa de voo vamos, porém, ter que esperar mais algum tempo. Só a 19 de março o helicóptero se irá separar do rover.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *