O satélite DSCOVR fez uma sequência de fotos do lado escuro da lua

As imagens, poéticas, foram captadas a um milhão e meio de quilómetros da Terra.

Por mais que olhemos para a Lua, a partir da Terra, nunca conseguiremos ver a sua outra face – o lado escuro ou negro, cujos mistérios inspiraram escritores, músicos, realizadores.

A primeira vez que a Humanidade viu o lado negro da Lua foi em 1959, quando uma nave espacial russa (a Luna 3) o fotografou.

Desde então, mais imagens chegaram até nós. As que foram reveladas esta semana pela NASA (e já captadas em meados de julho) surpreenderam, ainda assim, a comunidade científica.

Um cientista da NASA, Adam Szabo, ficou fascinado com o quão mais brilhante a Terra é em relação à Lua: “O nosso planeta é realmente um objeto brilhante no espaço escuro, em comparação com a superfície lunar”, disse.

Estas imagens, cuja sequência foi apresentada pela NASA em vídeo, são da autoria do satélite DSCOVR, que orbita a 1,6 milhões de quilómetros da Terra.

As fotografias foram tiradas quando a Lua passava entre o DSCOVR e a Terra, numa altura em que o sol iluminava tanto o nosso planeta (vê-se o oceano Pacífico, a América do Norte e a Austrália) como o lado escuro da Lua.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *