Google: olha quem chegou à Gronelândia

Já é possível dar um passeio virtual pelas ruínas vikings e pelos glaciares da maior ilha do mundo, com o Google Maps.

O convite da Google para conhecermos de perto a Gronelândia está feito. É grátis, não implica seguro de viagem, nem vestuário para o frio. Basta apanhar boleia com o Google Maps e o Street View encarrega-se de nos pôr à frente imagens sensacionais.

Nada substituirá a experiência de uma visita de pés assentes na terra, mas como a Gronelândia não fica propriamente aqui ao lado, vale a pena perder o efeito surpresa de uma visita presencial e admirar incríveis glaciares, ruínas vikings, terras pitorescas, monumentos.

PELAS ÁGUAS GLACIARES

Entre os locais que podemos visitar está o fiorde Ilulissat, o ponto turístico mais visitado da ilha, com o carimbo de Património Mundial da Humanidade da UNESCO (foto acima) ou o sítio onde Érik, o Vermelho estabeleceu a primeira colónia viking em 982, Brattahild, com a primeira igreja do “Novo Mundo” mandada construir pela sua mulher. Nuutoqaq, o porto colonial com a estátua de Hans Egede, o explorador norueguês que fundou a cidade de Nuuk, capital da ilha, é outra das paragens.

Pelas imagens, percebe-se que, por vezes, as imagens de 360 graus foram captadas a partir de barcos. Às vezes, sentimo-nos a navegar por aquelas águas geladas, espantados com as paredes verticais de gelo que surgem à nossa frente.

Será que foi assim que se sentiram os vikings?

SABIAS QUE?

– Gronelândia significa “terra verde”;

– A ilha situada ao largo da costa nordeste da América do Norte é, desde 1979, uma região autónoma dentro da Dinamarca, tal como as ilhas Faroé;

– Com 2 166 086 quilómetros quadrados, é a maior ilha do mundo e tem 56 900 habitantes;

– 85% da Gronelândia não está habitada, por estar coberta de gelo;

– As exportações de peixe representam, também, 85% do total das exportações da ilha, cuja economia gira em torno da pesca;

– Embora a Dinamarca pertença à União Europeia, a Gronelândia não faz parte da UE;

– Na Gronelândia (e em algumas partes do Canadá), o aquecimento global tem tido um impacto superior ao resto do mundo, segundo a Universidade de Washington. A região tem registado um aumento de um grau por década, o dobro da média mundial;

– O aquecimento global tem sido responsável pelo derretimento de gelo no Ártico. No vídeo seguinte, produzido pela National Oceanic and Atmospheric Administration, podes ver um time lapse a diminuição do gelo no Ártico entre 1987 e 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *