Desporto 30 agosto 2017
Escalada, Karaté, Skateboard, Surf e Basebol/Softball: as cinco novas modalidades de Tóquio 2020 | Foto: IOC

"Os Jogos serão mais jovens, mais urbanos e incluirão mais mulheres", anunciou o presidente do Comité Olímpico Internacional.

Por Rita Nunes (IHC-FCSH-UNL / Comité Olímpico de Portugal)*

São cinco as novas modalidades desportivas que o Comité Olímpico Internacional (COI) aprovou para fazerem parte do programa dos próximos Jogos Olímpicos. Escalada, Karaté, Skateboard, Surf e Basebol/Softball estarão presentes em Tóquio, de 24 de julho a 9 de agosto de 2020.

O COI justificou esta decisão, que foi tomada por unanimidade, com a necessidade de captar uma audiência mais jovem e mais abrangente. A complementar estas novas modalidades, surgem também novas disciplinas como o BMX Freestyle e o basquetebol 3x3.

Outras novidades anunciadas foram a inclusão das estafetas mistas no atletismo (4 x 400m) e na natação (4 x 100m Livres), as equipas mistas de triatlo e tiro com arco, bem como as duplas mistas de ténis de mesa, onde homens e mulheres irão competir entre si.

Tanto o COI como o Comité Organizador dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 colocaram ênfase em obter uma jovem geração de atletas entusiasmada com os Jogos.

O presidente do COI, Thomas Bach, afirmou que as cinco modalidades aprovadas são uma “combinação inovadora de modalidades bem estabelecidas e emergentes, voltadas para a juventude e que são populares no Japão”.

 

Já o presidente dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, Yoshiro Mori, realçou que “a inclusão destas novas modalidades irá permitir aos jovens atletas a oportunidade de uma vida, de concretizarem o sonho de competir nos Jogos Olímpicos - o maior palco desportivo do mundo - e inspirá-los a alcançar o seu melhor, tanto no desporto, como na vida”.

Com a inclusão destas novas modalidades e disciplinas e o aumento das competições mistas (que passam de 9 para 18 no total), as quotas de participação feminina aumentam para 48,8%, um recorde em comparação com as edições dos Jogos já realizadas, aproximando-se assim dos objetivos definidos pelo Comité Olímpico Internacional no seu documento estratégico - Agenda Olímpica 2020, para se alcançar um equilíbrio de participação entre homens e mulheres (50%) nos Jogos Olímpicos.

Estas decisões, tomadas no decorrer da 129.ª Sessão do COI realizada no Rio de Janeiro, em 2016, marcam um passo histórico para levar os Jogos Olímpicos aos mais jovens, refletindo a tendência da urbanização do desporto, com a realização de várias provas, nomeadamente o skateboard e a escalada, em infraestruturas temporárias instaladas em ambientes urbanos.

FOTOS: IOC e IOC/Dhutterstock

(*) Publicada ao dia 30 de cada mês, a rubrica "História, Desporto e Olimpismo" é dedicada ao estudo das origens e evolução do desporto e do Movimento Olímpico em Portugal. Resulta de uma parceria entre o Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa (IHC - UNL) e o Jornalíssimo e tem a coordenação científica de Rita Nunes, Diretora do Gabinete de Estudos e Projetos do Comité Olímpico de Portugal e investigadora do IHC.

 

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar