O que são os Jogos Europeus e porquê tanta polémica?

Acusações de violação dos Direitos Humanos no Azerbaijão estão a ensombrar o evento desportivo.

Tal como já existem os Jogos Pan-Americanos e os Jogos Asiáticos, o “Velho Continente” tem, a partir de hoje, as suas próprias Olimpíadas – os Jogos Europeus.

A decisão de os realizar foi tomada em 2012 pelo Comité Olímpico Europeu. Ficou decidido que a competição se realizaria, tal como os Jogos Olímpicos, de quatro em quatro anos, sempre no ano anterior às Olimpíadas.

A primeira edição dos Jogos começa hoje, dia 12, e decorre até ao próximo dia 28 de junho, em Baku, a capital do Azerbaijão. Se quiseres, tens aqui todo o programa por dias, paaíses ou por desportos.

KARATÉ E SAMBO

Nesta estreia, participam cerca de seis mil atletas (uma centena de portugueses), de 50 países, que competem em vinte modalidades desportivas. Em algumas delas, joga-se o apuramento para os Jogos Olímpicos do próximo ano, no Rio de Janeiro.

Entre os desportos presentes, alguns, no entanto, não são modalidades olímpicas. É o caso do karaté, do futebol de praia, do basquetebol 3×3 e do sambo (uma arte marcial desenvolvida na antiga União Soviética).

O que deveria estar a ser uma festa está, no entanto, envolto em várias polémicas. A razão principal para que assim seja prende-se com o local escolhido para a realização dos jogos: o Arzebaijão.

UMA DEMOCRACIA DE FACHADA?

Este país, uma ex-República Soviética, independente desde 1991, está na mira de várias organizações dos Direitos Humanos, que acusam o regime de Ilham Aliev de repressão.

A ‘Human Rights Watch’ e a ‘Amnistia Internacional’ estão a aproveitar a ocasião para denunciar a existência de presos políticos no país. Falam em militantes políticos, jornalistas e ‘bloguers’ encarcerados por pensarem de forma diferente do regime, num total desrespeito pelas garantias fundamentais dos cidadãos, como as liberdades de pensamento, de expressão e de imprensa.

Por esta razão, há muitas vozes a contestar a escolha deste país, encostado ao Mar Cáspio e à Ásia, para a realização dos Jogos. Falam de interesses ocultos por detrás da escolha do Arzebaijão (um território com grandes reservas petrolíferas e de gás) e lembram a falta de transparência do processo.

HOLANDA: ESTAMOS FORA

O Comité Olímpico Europeu (COE) não abre um concurso público de candidaturas para determinar onde se vão realizar os Jogos. A decisão é tomada internamente pelo COE depois de negociar com os interessados.

A última polémica estalou há dias, com a Holanda a renunciar ao acolhimento da segunda edição dos Jogos Europeus em 2019, como estava previsto. O Governo holandês negou-se a dar apoio ao Comité Olímpico daquele país para organizar o evento, que exigiria um grande investimento público.

A cerimónia oficial terá lugar hoje às 17 horas e podes vê-la em direto através do site oficial do evento (link no início deste artigo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *