5 Conselhos para criares um documento digital acessível

E simplificares a vida a quem é invisual ou tem dificuldades de visão.

Quem vê, nem sempre se lembra, mas os cegos e as pessoas com problemas graves de visão também usam ferramentas digitais e navegam na internet. Fazem-no com recurso a tecnologias capazes de ler o ecrã e transformar o texto em fala. O NVDA é um dos vários sintetizadores capazes de realizar essa conversão. Para quem tem uma percentagem de visão, existem outros mecanismos que simplificam o processo de leitura.

Para a função dessas tecnologias ser alcançada na perfeição, há regras que todos os documentos digitais, sites, blogues e por aí fora, deveriam cumprir. Algumas delas são bem simples e estão ao alcance de qualquer um. Ora vê:

Atenção ao tamanho da letra: para a leitura ser confortável o tamanho mínimo não deve ser inferior ao 11 em Verdana ou ao 12 em Calibri;

Nada de justificados: o alinhamento deve ser sempre à esquerda. Razão? O justificado cria espaços entre as palavras o que faz com que quem tem dificuldade em ler se perca na leitura;

Margens largas: para quem tem de ampliar o ecrã para conseguir ler, o ideal é que cada linha de texto tenha, no máximo, 80 carateres. Deste modo, depois de ampliado o ecrã, o utilizador não tem de estar constantemente a arrastar o ecrã da esquerda para a direita para conseguir acabar de ler as linhas. Essa medida consegue-se definindo as margens da página (superior, esquerda e medianiz) para 2,5 centímetros;

Não esquecer as legendas nas fotos: quando encontra uma imagem, o leitor de ecrã lê “gráfico”. Daí que as legendas tenham uma importância acrescida para estas pessoas.

Se quiseres ver o grau de acessibilidade de um site, há um endereço eletrónico onde podes fazê-lo. Em www.acessibilidade.gov.pt encontra-se informação sobre os sites portugueses e, no caso do grau de acessibilidade ser fraco, são indicados os aspetos a melhorar.

Estes são alguns princípios do design universal – sem barreiras, para todos.
O Portal “Ler para Ver” é dedicado à deficiência visual e é um bom exemplo de um site acessível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *