Fala-se muito ou pouco de política na escola?

A maioria acha que se fala pouco e que era importante que se falasse mais. Conhece os argumentos.

Ana, 11 anos: “Eu acho que se fala de política na escola mas só nas aulas de história. Apesar disso eu acho que se devia falar sem ser nas aulas para conseguirmos compreender melhor ,pois nós falamos noutra linguagem. Eu acho que falar de política é importante porque nós vamos ser os adultos do futuro e quando for a nossa vez de ajudar o país devemos estar preparados e informados. Para além disso apesar de Portugal ser um país não afetado diretamente pelas guerras pode deixar de o ser dum dia para o outro. Para nos mantermos informados e compreendermos as notícias para além de falarmos na escola eu gosto de ir ler as notícias no jornalíssimo.”

André Ribeiro, 17 anos: “É raro falar-se de política na escola. Só se fala na lei que muda alguma coisa e, às vezes, fala-se nas disciplinas de Economia e Geografia. Acho que se calhar era importante que se falasse mais porque a partir dos 18 anos podemos votar e votar sem saber nada de política não faz sentido.”

Beatriz, 15 anos: “Eu não sei bem como funciona a política no nosso país. É um assunto que suscita opiniões muito diferentes e fala-se menos. Normalmente os professores têm a matéria para dar e não falam muito sobre estes assuntos, só quando foi da eleição do Trump falaram connosco.”

Carolina Ferro, 17 anos: “Não se fala nada de política na escola e acho que era importante que se falasse. Há muitas matérias que nós damos que são desnecessárias e não se fala de coisas mais atuais que podem moldar o nosso pensamento e a nossa postura no futuro.”

Catarina Azevedo, 15 anos: “Eu gostava que se falasse mais. Como vivemos em Democracia acho que é um tema que nos diz respeito a todos. Até falamos de atualidade, mas de política fala-se pouco.”

Diogo Gonçalves, 16 anos: “Fala-se pouco. Talvez fosse necessário falar mais para estarmos mais a par do que acontece no nosso país, para sabermos o nosso futuro e decidir se ficamos cá ou se emigramos.”

Diogo Rodrigues, 17 anos: “Os professores falam pouco e acho que era importante que todos abordassem os temas de política connosco. Afinal vamos votar já para o ano.”

Guilherme Martins, 13 anos: “Não se fala muito, os professores não comentam política connosco. Era importante que falassem para nos ajudar a construir a nossa opinião.”

João Faria, 16 anos: “Fala-se pouco, não é um assunto abordado. Os professores não falam e, entre nós, também não temos esse tipo de conversa, senão vemos a desgraça que está e queremos mudar de país.”

Lara, 15 anos: “Fala-se pouco porque é um tema polémico. Acho que os professores evitam falar. Era importante que se falasse mais e que nos apresentassem a política. É o que governa o país, por isso era importante.”

Leonor Carvalho, 15 anos: “Acho que as escolas não nos informam muito sobre assuntos de política e é pena porque são superinteressantes. Às vezes a professora de Filosofia fala um bocado porque vem no âmbito da disciplina, senão nem se falava. Fala, por exemplo, sobre extrema-esquerda e extrema-direita.”

Leonor Coelho, 15 anos: “Fala-se pouco. Era importante termos uma noção mais geral da atualidade do mundo em que vivemos e da situação do país. Acho que os professores não falam por não fazer parte dos programas”.

Pedro Santos, 15 anos: “A política é o que hoje toma conta dos países e na escola quase não se fala sobre ela. Era importante que se falasse e que os jovens estivessem informados.”

Rodrigo Moura, 16 anos: “Fala-se muito pouco. Devia falar-se mais para estarmos mais a par do que acontece no país”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *