Saúde 30 novembro 2017
O moustache tornou-se um símbolo da saúde masculina | FOTO: tomasmoves/Creative Commons

Já ouviste falar em “Movember” e na “The Distinguished Gentlemans Ride”? É destes movimentos sociais em saúde que te falamos neste artigo.

Opinião | Por Bruno Rodrigues Alves *

Lembras-te da campanha dos baldes de gelo, em que as pessoas entornavam um balde de água fria sobre si próprias, para alertar para a importância de financiar a pesquisa sobre a esclerose lateral amiotrófica? Eis um exemplo de como a participação da sociedade civil em questões de saúde tem vindo a ganhar protagonismo. O “Movember” e o “The Distinguished Gentlemans Ride” são mais dois exemplos de movimentos sociais em saúde.

Um movimento social pressupõe formas de mobilização da população não convencionais (algumas até irreverentes e “fora da caixa”) cuja ação se desenvolve para além dos espaços institucionalizados. Chamam a atenção para questões concretas (neste caso de saúde), procurando provocar mudanças na sociedade. São formas da chamada cidadania “de baixo para cima” ou de “protagonismo ascendente”, já que emergem da sociedade civil e não de instâncias públicas.

O “Movember”, termo que resulta da junção de "moustache" (bigode) com "November" (novembro), nasceu em 2003 na Austrália, em Melbourne e tem hoje representação oficial em 21 países (Portugal ainda não é um deles), tendo-se tornado na maior Organização Não Governamental (ONG) mundial para a saúde masculina. Teve início quando um grupo de amigos decidiu deixar crescer o bigode durante todo o mês de novembro para chamar a atenção sobre o cancro da próstata.

Inicialmente foi um gesto de solidariedade para com um amigo que sofria da doença, mas o seu alcance cresceu, para alertar para a saúde masculina no geral. O “Movember” tem-se debruçado também sobre o cancro testicular (em expansão), o suicídio masculino (tratado ainda como tabu) e a inatividade física, maior no homem do que na mulher. Recentemente, tem-se vinculado também o termo "Movember" à palavra "move" (mexer) salientando o envolvimento que o homem deve ter na sociedade.

Já a “The Distinguished Gentlemans Ride” consiste num desfile de motos clássicas, que tem lugar, desde 2012, um pouco por todo o mundo (também em Portugal) no último domingo de setembro. Inspirado no “Movember”, e tendo esta Fundação como parceira oficial, este movimento alerta para o cancro da próstata e, mais recentemente, também para o suicídio masculino (como resultado da morte de um dos organizadores, que tinha uma depressão severa). Teve igualmente origem na Austrália, mas em Sidney. Os participantes vestem os seus melhores fatos (daí o termo gentleman) e os fundos obtidos são entregues à Movember Foundation, que os distribui por vários organismos que lidam com estas problemáticas. Barbearias, cabeleireiros, clubes desportivos e ginásios, têm-se associado a ambos os movimentos.

É claro que estes movimentos acompanham a emergência de um “novo homem” mais preocupado, vigilante, pró (ativo) e socialmente implicado.

Coincidentemente, no mês de novembro (dia 19) assinala-se, desde 1999, o Dia Internacional do Homem que, apesar de não ter ainda muito destaque, tem como pilares valorizar modelos masculinos positivos, assinalar os contributos do homem à sociedade, melhorar as relações entre homens e mulheres e evidenciar alguns problemas de saúde que enfrentam os homens, rapazes e ou meninos.

O que é que revelam estes movimentos? Sobretudo a capacidade (pró) ativa, mobilizadora e influenciadora da sociedade civil. Mostram, ainda, que esta, como parte interessada, tem uma palavra a dizer, afirmando-se como agente de mudança e interlocutora na definição da agenda mediática.

Por outro lado, estes movimentos evidenciam ainda que a participação em sociedade e a solidariedade assumem, cada vez mais, formas públicas e coletivas. Estes movimentos, claro está, beneficiam da sociedade em rede, já que pelos media digitais (sobretudo a Internet, que funciona como “altifalante” para a disseminação das mensagens) alargam a base de apoio às causas, gerando uma cascata mobilizadora, tornando-os "cross-movements", isto é, movimentos planetários.

Os movimentos citados colaboram com vários organismos de saúde, como a "Prostate Cancer Research Foundation" (Canadá), e contam com o patrocínio de marcas e empresas conhecidas (Harley Davidson ou Playstation), que indicia a responsabilidade social empresarial, bem como de figuras públicas (como o ator Clive Owen, o futebolista Iker Casillas ou a Seleção Australiana de Râguebi), que lhes dão maior projeção.

Recusando a ideia de se afirmarem como iniciativas sexistas (bem pelo contrário), pretendem ampliar a discussão pública sobre questões que afetam a saúde do homem, e que têm repercussão nas famílias e em toda a sociedade.

É com movimentos e “alianças” deste tipo que se desenvolve uma verdadeira cultura de cidadania ativa. Por estas razões, divulga o “bigode” contribuindo para pôr a saúde masculina “sobre rodas”.

Se quiseres saber mais sobre as origens e curiosidades destes movimentos consulta: https://ex.movember.com/pt/ e https://www.gentlemansride.com/

(*) Sociólogo

e-max.it: your social media marketing partner
Escrito por Jornalissimo
Voltar