A (assustadora) voz das bonecas falantes de Edison

O génio da lâmpada foi, também, o inventor das bonecas que falam, em 1890. Não foram um sucesso, como podemos perceber pelo som original agora revelado.

Aviso prévio: a gravação sonora reproduzida no final deste artigo pode conter sons eventualmente perturbantes.

Quando, há 125 anos, Edison inventou bonecas que falavam, não o fez para assustar os mais pequenos. Bem pelo contrário. Mas a ideia mágica de incorporar gravações de voz nas bonecas não resultou como esperava.

Em 1890, o fonógrafo era um recém-nascido e o som reproduzido pelas bonecas, quando acionada a pequena manivela que tinham nas costas, em vez de encantar deixou as crianças aterrorizadas.

A existência destas bonecas era conhecida. O seu som é que não. Os colecionistas receavam girar a manivela e produzir danos irreparáveis no fonógrafo que permitia às bonecas “falar”.

O som era reproduzido graças a um pequeno cilindro de cera que continham no interior, onde estavam gravadas ranhuras sobre as quais passava a agulha do fonógrafo.

O avanço tecnológico permitiu, agora, reproduzir as gravações históricas sem provocar danos nos aparelhos originais. O sistema utilizado nem sequer toca o cilindro: um microscópio capta imagens pormenorizadas das ranhuras e um computador simula com exatidão os sons produzidos pelo padrão de altos e baixos em que a agulha do fonógrafo incidia.

Graças a esta tecnologia, denominada Irene (Image, Reconstruct, Erase Noise), o mundo pode de agora em diante ouvir as canções de embalar e as rimas entoadas por vozes femininas.

Na página do museu de West Orange, o Thomas Edison National Historical Park (onde milhares de pessoas visitam anualmente o riquíssimo espólio do inventor), explica-se a importância histórica destas bonecas.

Além de serem as primeiras gravações comerciais a chegar até aos nossos dias, as jovens que lhes emprestaram a voz foram, provavelmente, as primeiras artistas profissionais neste campo, pagas por fazerem registos sonoros.

Edison foi um dos maiores inventores de todos os tempos. Devemos-lhe não só a luz, mas também a música gravada. Foi ele quem, ao tentar aperfeiçoar a invenção de Alexander Bell, o telefone, descobriu o fonógrafo – um aparelho capaz de reproduzir vozes ou música, dando origem, assim, a uma nova forma de entretenimento.

Edison disse, um dia, que “a genialidade é 1% inspiração e 99% transpiração”. Será?

Podes ouvir aqui todas as gravações que foram recuperadas. O vídeo seguinte reúne algumas delas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *