A bicicleta é o lápis, o GPS faz o resto

O norte-americano Michael J. Wallace descobriu uma forma original de desenhar.

Chamar-lhe artista talvez seja exagerado, mas criativo Michael J. Wallace é seguramente. Este norte-americano, residente em Baltimore, uma das maiores cidades do estado de Maryland, usa o GPS e a bicicleta para fazer desenhos.

No site onde apresenta as centenas de formas que já desenhou em mapas – especialmente os da cidade onde vive, mas não só – Wallace conta que começou por tentar traçar as letras do seu nome.

Foi assim que a sua “carreira” começou, conta com um toque de humor. Mas ele parece levar a coisa bem a sério. Recorda que, por trás de cada uma destas imagens, está todo um processo de planeamento, exercício físico e produção tecnológica. No mapa, os percursos até parecem pequenos, mas na realidade alguns obrigam Wallace a pedalar grandes distâncias.

Só os mapas e as figuras variam, o processo é sempre o mesmo. Wallace planeia tudo ao pormenor, instala o GPS no guiador da bicicleta, “desenha” enquanto pedala e, por fim, descarrega os dados do GPS no ‘Google Maps’, com o resultado que se vê.

Só então tem a noção exata do desenho – ele chama-o de “GPX” – que criou. Desde 2010 que o faz, de modo que a sua coleção de GPX já vai longa. Se quiseres ver mais imagens visita o site dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *