Queridos, encolhemos o computador

Uma empresa norte-americana criou um computador do tamanho de um cartão de crédito. Custa oito euros.

O ‘C.H.I.P.’ (que também é muito ‘cheap’) – assim se chama o minicomputador – mal acabou de nascer e já é um sucesso. A campanha de ‘crowdfunding’ que os seus inventores lançaram no ‘kickstarter‘ dificilmente poderia ter corrido melhor.

O objetivo inicial de 50 mil dólares de financiamento foi largamente ultrapassado – chegaram quase aos dois milhões de dólares (mais de um milhão e meio de euros).

A ideia de, por cerca de oito euros, ter um computador que cabe no bolso, com um processador de 1 GHz, 512 Mb de RAM, 4 Gb de armazenamento, recetor Wi-fi e Bluetooth, convenceu já milhares de pessoas em todo o mundo.

Com o ‘C.H.I.P.’ pode fazer-se tudo o que se faz com um computador normal: jogar videojogos, ver filmes, ir à Internet, escrever, usar programas de texto e imagem, etc., etc., etc.

Basta ligá-lo a um teclado e a um ecrã (seja ele de televisão ou computador) para usufruir de todas as suas potencialidades.

O computador, idealizado por jovens (e criativos, como podes constatar no vídeo abaixo) engenheiros da ‘Next Thing’, sedeada em Oakland (Estados Unidos), já vem com o sistema operativo Linux instalado e podes descarregar dezenas de aplicações ‘open-source’.

Sem isso e sem a produção em grande escala que esta campanha de financiamento vai permitir, o mini, mini preço seria impossível.

O valor pode subir se, por exemplo, quiseres usar o ‘C.H.I.P.’ como computador portátil (foto acima). Para isso, terás de adquirir o ‘PocketCHIP’, com ecrã tátil, um pequeno teclado e uma bateria com capacidade para cinco horas por cerca de 43,5 euros (preço total, C.H.I.P. incluído).

Se ainda quiseres participar na campanha do Kickstarter e garantir, assim, que serás um dos primeiros a ter um ‘C.H.I.P.’ na mão apressa-te porque termina já a seis de junho.

Que o ‘C.H.I.P.’ deverá tornar-se no computador mais barato do mercado restam poucas dúvidas. A maior expetativa será ver o impacto que um preço tão baixo poderá ter na democratização da informática, tornando os computadores acessíveis a muitos milhares de pessoas em todo o mundo que ainda não têm possibilidade de adquirir um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *