É desta que desvendamos o mistério das Pirâmides do Egito?

A nova expedição científica vai usar uma bateria de novas tecnologias para pôr fim ao enigma.

Há diversas teorias sobre o modo como foram erguidas as Pirâmides do Egito, mas muito poucas certezas. Ainda hoje há quem acredite que estes enormes túmulos construídos para os faraós foram obra de extraterrestres.

Uma nova equipa de cientistas de diferentes nacionalidades (egípcios, canadianos, franceses e japoneses) propõe-se, até ao final de 2016, encontrar respostas para perguntas que permanecem há milhares de anos sem resposta.

Só para erguer a Pirâmide de Quéops, uma das sete Maravilhas do Mundo Antigo (das sete, é a única que chegou aos nossos dias), foram precisos mais de dois milhões de blocos de pedras, com um peso médio de 2,5 toneladas cada.

Como se transportaram estes blocos imensos até ali? Como se elevaram para dar forma à construção? Esconderão as pirâmides outras câmaras secretas como a de Tutankamon, descoberta em 1922?

A investigação vai centrar-se em quatro das cem pirâmides que existem no Egito: duas pirâmides de Gizé (Quéops e Quéfren) e duas de Dahshur (a Pirâmide Curvada e a Pirâmide Vermelha).

A equipa de investigação está convencida que a solução do enigma se esconde nas fundações das pirâmides, no subsolo. Para chegar lá sem danificar os monumentos, os cientistas vão servir-se de uma série de meios tecnológicos.

O estudo já é conhecido como “Scan Pirâmides”, pois serão usados, por exemplo, infravermelhos para obter imagens do que se esconde por baixo da superfície; uma técnica denominada ‘deteção de múons’ (partículas de energia que penetram objetos), que permitirá descobrir as tais câmaras secretas se existirem e tecnologia laser, que ajudará a fazer uma reconstrução em 3D das pirâmides.

As autoridades egípcias esperam que este estudo, bem como dois novos museus (um perto das Pirâmides de Gizé, com inauguração prevista para o início do próximo ano; outro, ‘O Grande Museu Egípcio’, em 2022), despertem de novo o interesse dos turistas pelas pirâmides.

Os atentados levados a cabo por radicais islâmicos na região têm afetado as visitas: o número de turistas passou de 15 milhões em 2010 para 10 milhões este ano.

Aprende mais sobre o mistério da construção das pirâmides nesta reportagem do programa de ciência ‘Veritasium’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *