Por que é que a água do mar é salgada?

Foi sempre assim? E a água doce, será que tem sal apesar do nome? Quanto sal há num litro de água do mar? 

Perante a pergunta por que é salgado o mar, um amante de poesia irá sempre recordar o início do célebre “Mar Português”, de Fernando Pessoa: “Ó mar salgado, quanto do teu sal/ São lágrimas de Portugal!/Por te cruzarmos, quantas mães choraram,/Quantos filhos em vão rezaram!/ Quantas noivas ficaram por casar/ Para que fosses nosso, ó mar!”.

Já era salgado o mar nos Descobrimentos, a época a que alude o poema da “Mensagem”, e todas as lágrimas têm sal, como sabemos, mas nem sempre o mar foi tão salgado como o conhecemos

Se tivéssemos vivido há muitos milhões de anos e tivéssemos assistido à formação da vida na Terra, iriamos conhecer uma água do mar muito mais próxima à dos rios, bem diferente da que conhecemos na atualidade, com 35 gramas de sal por litro, em média.

O mar foi-se tornando salgado com o passar do tempo pelo facto de as águas que correm pela superfície terrestre irem arrastando consigo, para mares e oceanos, uma grande variedade de sais minerais. Entre eles, o cloreto de sódio, a que vulgarmente chamamos sal de cozinha. 

E sim, a água que designamos por doce também contém sal, embora numa quantidade muito mais reduzida. 

Da próxima vez que deres um mergulho no mar e sentires o sabor a sal, lembra-te que ele é o resultado da dissolução de vários tipos de sais ao longo de muitos milhões de anos. Sais que vieram da corrosão das rochas, de erupções vulcânicas, da decomposição de milhões de seres vivos subaquáticos

E, já agora, sabias que a salinidade do mar não é igual em todas as partes do globo? O grau de concentração de sal depende de fatores como a profundidade – é mais salgado à superfície, onde, graças à ação do sol, a evaporação é maior (a água evapora-se, mas o sal permanece no mar). 

 

Além disso, basta pensarmos no Mar Morto (assinalado acima) para saber que a quantidade de sal varia. Este mar tem cerca de dez vezes mais sal do que a média. Aproximadamente 300 gramas por litro! O nome vem justamente daí, pois pouquíssimos seres conseguem viver com tanto sal. 

Há essencialmente duas razões para esta diferença de salinidade. Uma prende-se, por um lado, com um clima muito quente que aumenta a evaporação e, por outro, com uma quase ausência de chuva, que impede a chegada de água doce; a outra razão é o desvio das águas do Rio Jordão que antes desaguavam neste mar, levando-lhe água doce. 

E, a propósito, sabes como se formam as ondas?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *