Um jardim no tejadilho

Se já há hortas nos telhados, por que não fazer jardins no teto dos veículos automóveis?

Marc Grañen apresenta-se como um “artista paisagista”. Além de fazer instalações com vegetação, dedica-se a criar jardins horizontais (em fachadas de edifícios) e espaços verdes em telhados.

Foi daí que lhe veio a inspiração para criar um conceito que já está a tornar mais verdes algumas cidades espanholas: instalar jardins no teto de qualquer tipo de transporte urbano – carrinhas, camiões, autocarros, independentemente da marca e do modelo.

O lema da PhytoKinetic, a empresa que fundou, é “jardins em movimento”. Na página oficial, Marc dá várias razões para se optar por estes veículos.

Uma das principais tem a ver com a compensação da poluição criada pelos transportes, já que a vegetação vai absorver a totalidade das emissões de CO2 do veículo em que o jardim é instalado. Aumentar os espaços verdes nas cidades, contrariar o efeito das “ilhas de calor urbanas” e dar melhor qualidade de vida aos habitantes são outros dos pontos positivos apontados pelo artista espanhol.

O conceito já foi aprovado pelas leis de circulação rodoviária e é possível que muito em breve te cruzes com um veículo destes. A PhytoKinetic está a operar não só em Espanha, mas em várias partes do mundo.

As instalações são feitas no local onde vive o dono do veículo, para causar um menor impacto ambiental. As plantas são locais, tal como os materiais e a mão-de-obra.

Vê alguns exemplos de jardins ambulantes neste vídeo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *