Concordas que haja uma opção vegetariana nas cantinas?

Quem respondeu à pergunta do Jornalíssimo está de acordo com a proposta. Vê e lê os argumentos.

Em breve, as cantinas geridas pelo Estado vão passar a oferecer uma opção vegetariana na ementa, além dos tradicionais pratos de carne e de peixe.

Não é a primeira vez que o assunto foi debatido no Parlamento, mas desta vez a existência desta opção ganhou força de lei.

As cantinas e refeitórios vão ter um período de até seis meses para adotarem esta prática. No entanto, em cantinas onde a opção vegetariana não tenha procura, é possível estabelecer a inscrição prévia para a refeição, evitando assim o desperdício alimentar.

O projeto de lei foi apresentado pelo deputado do Partido Animais e Natureza André Silva e, posteriormente, também o Bloco de Esquerda e o Partido Ecologista Os Verdes apresentaram propostas no mesmo sentido. A medida foi aprovada com os votos favoráveis de todos os partidos, exceto o PSD e o CDS, que se abstiveram.

Miguel, 18 anos: “Acho bem porque há pessoas que não comem carne nem peixe e ficam impossibilitadas de comer nas cantinas. É justo mesmo tratando-se de uma minoria”.

Catarina Barros, 22 anos: “É uma iniciativa muito positiva e já devia ter sido tomada há mais tempo. A comunidade vegetariana é cada vez maior”.

Margarida Almeida, 20 anos: “Tal como há a opção de carne e de peixe, deveria existir a opção vegetariana. Não se tem de obrigar os vegetarianos a escolher entre carne ou peixe. E era bom até para quem não é vegetariano poder experimentar”.

Mariana Lopes, 20 anos: “Acho que tal como nós temos a possibilidade de ir à cantina, os vegetarianos também devem ter. Ser vegetariano é uma opção, tal como nós optamos por não ser”.

Francisco Dias, 19 anos: ” Está certo, mas acho que só a partir do Ensino Secundário, porque as crianças não percebem muito disso, não creio que tenham conhecimento para saber se querem ser vegetarianas”.

Ana Daniela Soares, 23 anos: “Acho que as crianças e adolescentes devem ter oportunidade de escolher o tipo de alimentação que querem e não só aquelas que lhes são mais apresentadas. A escola, como principal motor de aprendizagem, é um recurso essencial para mostrar as várias opções alimentares. A maior parte do processo de socialização das crianças acontece na escola e a alimentação é importante. Não se vai para a escola aprender apenas a parte curricular, é importante que a escola proporcione aprendizagens noutras áreas: alimentar, saúde, higiene, entre outras”.

Maria João Cardoso, 19 anos: “Acho bem e na minha universidade (a Católica) já existe menu vegetariano há algum tempo. É fundamental porque todos temos opções alimentares diferentes e devemos ter resposta a essas opções. Acho que devia ser assim desde sempre”.

Cátia, 20 anos: “Acho que há cada vez mais pessoas a serem vegetarianas e acho que é uma excelente opção porque não somos todos obrigados a comer carne e peixe. Cada vez mais a defesa pelos animais cresce”.

Beatriz Peneda, 19 anos: “Acho que deveriam colocar sempre uma opção vegetariana, assim os vegetarianos têm possibilidade de comer na cantina, senão têm de levar sempre de casa ou comer sempre fora e gastar mais dinheiro”.

Tatiana Ferreira, 22 anos: “Concordo porque é bom termos uma opção saudável. Acho que devemos ter várias opções para podermos escolher. Eu acho que a opção vegetariana é a mais saudável. Não sou vegetariana, como carne, mas se puder escolher entre as duas, escolho vegetariana. Muitas vezes levo comida de casa para poder comer vegetariana”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *