Uma Supermulher na ONU e a cidade que mudou de nome

Recorda a rubrica do Jornalíssimo no Jornal 2 do dia 26 de outubro.

Em destaque:

A cidade mais a norte dos Estados Unidos, no Alaska, mudou de nome

Os habitantes de Barrow decidiram em referendo adotar o nome primitivo da cidade, antes de esta ser batizada com o nome de um naturalista inglês que promoveu várias expedições ao Ártico: Barrow.  O novo/velho novo é na língua inupiaq: “Utqiagvik”, a língua de um povo indígena que habita aquela zona há mais de 3000 anos, os Inupiaq Eskimo’, e que está a desaparecer. 

A ONU quer os superpoderes da ‘Wonder Woman’

Para alertar os jovens para as desigualdades de género que ainda persistem no mundo, a ONU escolheu a Supermulher como “Embaixadora Honorária para o Empoderamento das Mulheres e Meninas”. A decisão gerou polémica, entre outras coisas, por ser uma personagem de ficção. Mas a história desta personagem com 75 anos é curiosa. Foi inventada por um psicólogo norte-americano que também inventou o detetor de mentiras.

É bom ser jovem hoje?

Depende… As respostas à pergunta que lançámos na semana anterior são muito diversas. Há visões otimistas e pessimistas. O ponto em que todos estão de acordo é este: há excesso de carga letiva.

Pergunta da semana:

Concordas que a nota de Educação Física conte para a média de acesso ao Ensino Superior?

O Secretário de Estado da Educação João Costa anunciou que a média da disciplina vai voltar a contar para a média para os alunos que vão para o 10º ano no próximo ano letivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *