7 palmos acima da terra

A tenda suspensa não é exatamente uma casa na árvore, mas anda lá perto.

O contacto com a natureza mantém-se, o contacto com o solo é que deixa de ser o mesmo. Quando se acampa nestas tendas suspensas, a terra fica uns bons palmos abaixo.

O corpo deita-se no ar, numa tenda elevada a cerca de um metro e vinte do solo, sustentada por três cabos, atados a outras tantas árvores. Quem experimentou, comenta que a sensação é parecida com a de dormir num colchão de água.

Há imagens espetaculares das tendas a alturas bem mais elevadas, mas esse é um privilégio reservado a alpinistas e aventureiros habituados a andar no topo do mundo – além de muita coragem, requer materiais que não são fornecidos na compra da tenda.

O homem responsável por esta revolução no tradicional conceito de campismo é um arquiteto londrino que cresceu com uma fixação por casas nas árvores: Alex Shirley-Smith.

As estruturas que criou, juntamente com o designer Kirk Kirchev, estão a ser usadas em várias partes do mundo por amantes da natureza, a quem estas estruturas vieram proporcionar novas experiências.

Na página da Tentsile encontras vários vídeos e todos os detalhes técnicos sobre como montar estas tendas, que têm capacidade para três pessoas e suportam cerca de 400 quilos.

Num dos modelos, a cobertura pode ser tirada, para se ficar suspenso de barriga para o ar, a apanhar sol ou a ver as estrelas, em comunhão absoluta com a natureza.

No País de Gales, há um local onde se pode dormir numa tenda suspensa numa falésia, uns metros não acima da terra, mas do mar. Podes ler o artigo e ver as imagens aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *