As dicas do Pedro Agricultor para Agosto

Verão não é tempo de férias para quem trabalha no campo. É agora que começam em força todas as plantações e o ditado lembra-o: “Em Agosto aguilhoa o preguiçoso”.

Por Pedro Rocha (pedroagricultorurbano@gmail.com)*

Fazendo jus ao ditado do passado mês de Julho (“Julho quente, seco e ventoso, trabalha sem repouso”), muito houve para fazer no campo, com as culturas a crescerem a bom ritmo e o cuidado constante em controlar infestantes e manter as plantas bem hidratadas, com duas regas diárias.

Agosto será, talvez, o mês mais difícil para manter a horta em boas condições. Os amigos falam das suas férias, todos partem para lugares exóticos e relaxantes, mas a terra não conhece tal coisa e todos os dias exige de nós alguma atenção.

Por isso se diz que “em Agosto aguilhoa o preguiçoso”. Bem é preciso, porque na praia não se está mal e até eu me atrasei na escrita das dicas do mês.

Lembra-te, contudo, que é agora que começam em força todas as plantações que irão garantir sustento para o período de inverno, por isso não se pode falhar. Imagina o que seria entregar-se à preguiça antigamente… Quem “laureava a pevide” nesta época pagava com elevadas doses de fome durante o inverno a maganice de verão!

Por isso, há que colher, há que plantar e há que regar sem parar. Férias de agricultor são feitas mais lá para o início do Inverno, quando a chuva e o frio não deixam fazer muito na terra.

MÃOS À HORTA

Na horta é altura de semear a couve portuguesa ou, como se diz no norte, a penca. Depois da batata ser colhida podemos fazer, por sementeira, o nabal. A cebola que foi colhida com o intuito de ser conservada deve ficar exposta ao sol durante alguns dias para secar bem e só depois deverá ser armazenada. O alho seco deve ser primeiro lavado e depois seco ao sol. As abóboras, depois de cortadas, podem ser deixadas durante alguns dias no campo, também para garantir que ficam bem secas, mas o ideal é retirá-las de imediato. Já a batata, assim que for colhida, tem de ser imediatamente armazenada em local escuro, evitando a exposição ao sol. A batata ao ser exposta ao sol fica esverdeada e passa a conter glicoalcalóides que podem causar distúrbios gástricos no nosso organismo devido à sua toxicidade.

Tomateiros, courgettes e pimentos estarão agora no seu pico de produção sendo necessário manter uma colheita regular para que os frutos sejam colhidos num ponto de maturação e tamanho equilibrados para comercialização. Se a horta for apenas para consumo doméstico, nada melhor do que esperar para que os frutos atinjam o ponto de maturação ideal na própria planta e tirar partido do melhor sabor.

COLHER

Nos últimos tempos sou abordado por muita gente que me pergunta quando deve colher os seus legumes – “Como é que sei quando estão prontos a colher?”.

Não é muito fácil demonstrar como e quando colher cada um dos legumes através destas dicas escritas, mas gostaria de deixar uma que me parece ser muito fácil de entender.

Observa o aspeto dos legumes no supermercado e observa como foram cortados. A alface terá um peso aproximado de 300 gramas e foi cortada pelo pé; a rúcula é vendida com todas as folhas separadas indicando um corte raso das folhas; a couve coração é vendida com o repolho bem fechado e apertado, tendo sido cortada pelo pé.

Não é assim tão difícil perceber o momento certo para colher os legumes e é uma oportunidade para cultivares a arte indispensável para um agricultor: saber observar!

O “FAMOSO” DE AGOSTO: A MELANCIA

 

Bilhete de Identidade
Família: Cucurbitaceae
Género: Citrullus
Espécie: Citrullus lanatus

Origem e história
A origem da melancia está na Africa Tropical onde foi cultivada há mais de cinco mil anos, sendo progressivamente disseminada pelo mundo.

A Cultura da Melancia
A melancia é uma planta herbácea anual podendo os seus frutos, em algumas variedades, chegar aos 25 quilos, com uma forma que pode ser redonda ou alongada, atingindo até 60 centímetros de comprimento. Já a polpa, para além do vermelho que todos conhecemos, pode também ser amarela, laranja, branca ou verde, de acordo com as variedades.

Na cultura da melancia devemos evitar outras cucurbitáceas como precedentes culturais.

A instalação da cultura faz-se tradicionalmente por sementeira direta, com as sementes a uma profundidade de 3 a 4 centímetros. Contudo, atualmente, é vulgar fazer a plantação para, assim, a planta ganhar alguma vantagem competitiva em relação às infestantes, ou para se poder aplicar tela no cultivo e assim impedir o surgimento dessas infestantes.

Os camalhões para a cultura da melancia devem ser armados com dois metros de largura e 20 a 30 centímetros de altura. Num hectare podem ser instaladas 8000 a 12 000 mil plantas, com uma distância na linha de 60 a 90 centímetros e de 1,5 a 2,5 metros na entrelinha.

Apesar de a melancia ser uma cultura resistente à seca, a produtividade aumenta em sistema de regadio. O regadio é especialmente importante na fase de desenvolvimento dos frutos.

Tens dúvidas?
Podes escrever ao Pedro Agricultor para o endereço eletrónico que está no início deste artigo, indicando o nome e o local de onde escreves. Todos os meses, ele vai responder a duas ou três questões colocadas pelos leitores.

(*) Pedro Rocha nasceu em Espinho em 1976 e cresceu entre as praias da Aguda e os campos de Arcozelo. Em 2000 concluiu o Curso de Ciências do Ambiente e Poluição na Universidade de ‘South Wales’, no Reino Unido e, no mesmo ano, iniciou a atividade profissional na consultora alemã ‘Hydroplan GmbH’, sendo consultor no projeto de desenvolvimento rural em Cabo Verde. Em 2005 começou o projeto de agricultura biológica Raízes, do qual ainda é sócio. Desde 2014 que se dedica à prestação serviços como agricultor urbano e consultor, promovendo novos conceitos de relação entre consumidores e produtor. Podes saber mais sobre a colaboração de Pedro com o JORNALÍSSIMO aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *