Em vez de asfalto, plástico reciclado

E se as garrafas de água que consomes acabassem transformadas na estrada que te leva a casa?

Uma empresa holandesa está a desenvolver aquela que acredita poder vir a ser a estrada do futuro: a ‘PlasticRoad’.

Trata-se de uma estrada feita com módulos pré-fabricados de plástico reciclado. No seu site, a companhia VolkerWessels, diz serem inúmeras as vantagens da adoção desta tecnologia. A vários níveis.

Em termos ambientais, explicam, a ‘PlasticRoad’ seria uma solução para as enormes quantidades de plástico que são produzidas e acabam a poluir, por exemplo, os oceanos. Além de que evitaria toda a poluição associada ao asfalto, responsável pela emissão anual de milhões de toneladas de CO2.

Por outro lado, notam que o uso deste material, extremamente leve, permitiria tornar a construção de uma estrada numa “tarefa simples”, que demoraria “semanas em vez de meses”.

E, sendo oca, a estrutura interior da estrada ofereceria, ainda, espaço para instalar cabos, ligações para postes de iluminação, tubos para canalizações, sensores de tráfego, entre outros equipamentos.

Outro ponto forte apontado pelos inventores da ‘PlasticRoad’ é a manutenção da infraestrutura, pois o plástico reciclado é muito mais resistente às condições climatéricas e à erosão química do que o asfalto, argumentam.

As estimativas da empresa apontam para uma duração três vezes superior à das estradas convencionais.

Para testar o produto, a ‘VolkerWessels’ construiu uma ciclovia onde está a levar a cabo uma série de testes. É preciso investigar, por exemplo, o impacto sonoro da circulação numa superfície deste género ou a derrapagem.

Quando os testes iniciais na ciclovia estiverem concluídos, a câmara de Roterdão disponibilizou já terreno na cidade para construir a primeira ‘PlasticRoad’ do mundo.

A empresa já sabe onde ir buscar o plástico para fabricar os módulos: quer aproveitar os oito biliões de quilos deste material que se encontram atualmente a flutuar nos oceanos.

Se te interessas por estes temas, espreita também os artigos que escrevemos sobre vias capazes de produzir energia e construídas com painéis solares. Estão aqui e aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *