Kentaro está de volta a Portugal

O lince ibérico nascido em Silves e libertado em Espanha, regressou pelo seu próprio pé. Perdão, pata.

O GPS veio revolucionar o nosso conhecimento sobre os animais. Graças a esta tecnologia é possível saber factos tão curiosos como este que agora te contamos.

Kentaro é um jovem lince, nascido no Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico, em Silves (Algarve), em março de 2013. Em novembro de 2014 foi libertado na natureza em Espanha, nos Montes de Toledo, na região de Castilla-la-Mancha (foto abaixo), juntamente com o seu irmão, Kahn.

Os investigadores que estão a estudar os irmãos lince puseram-lhes uma coleira com um emissor de GPS-GSM. Através dela, conseguem monitorizar todas as movimentações dos animais, além de recolher outras informações, por exemplo relativas à alimentação.

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) acaba de comunicar a entrada de Kentaro em Portugal, pelo norte do país, perto de Vimioso. No comunicado de imprensa o ICNF descreve todo o percurso percorrido pelo animal desde que foi libertado. O número de províncias espanholas por onde viajou é impressionante: Madrid, Cuenca, Guadalajara, Soria, Zaragoza, Zamora foram “visitadas” por Kentaro antes de atravessar a fronteira e chegar a Trás-os-Montes. No mapa seguinte podes ver o percurso feito por Kentaro (a vermelho) e Kahn (a azul) até ao início de junho.

Kentaro e Kahn (que já regressou a Portugal em finais de junho e encontra-se agora no concelho de Ourique, no Alentejo) fazem parte do projeto Life+10 NAT, que pretende recuperar as populações de lince ibérico na Península, de modo a garantir a sobrevivência da espécie.

O lince ibérico é o felino mais ameaçado do mundo, esteve em vias de extinção, sobretudo por ter diminuído muito a quantidade da sua principal presa (o coelho-bravo), mas também pela destruição do seu habitat (a floresta mediterrânica), pela caça ilegal e por envenenamento.

Este projeto já reuniu muitos dados sobre o modo de vida destes animais. Ficou a saber-se, por exemplo, que o lince ibérico é capaz de caminhar mais de 25 quilómetros num dia e substituir o seu principal alimento (o tal coelho-bravo) por outros, alternativos, como roedores e cervídeos.

Com a chegada de Kentaro, há 12 linces ibéricos a morar atualmente em território português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *