Michael Breach: de barista a ‘coffee artist’

Imagina-te a pedires um café e a porem-te à frente um com a tua cara.

Só de olhar, os cafés de Michael Breach espevitam qualquer um.

Uma chávena, um palito, café e espuma de leite é tudo quanto este norte-americano precisa para mostrar a arte que faz e que se bebe num só trago.

O trabalho como barista num hotel e muitas horas mortas levou Breach, residente em Nova Iorque, a descobrir o seu dom. E a aperfeiçoá-lo.

No seu site oficial, conta que começou por fazer desenhos simples, mas foi desenvolvendo uma série de técnicas e as representações foram evoluindo com elas.

Os retratos e as figuras que cria nessa “tela” mínima que é uma chávena de café desaparecem em poucos minutos, mesmo que ninguém os beba. “É isso que os torna especiais”, diz ele.

Às vezes inspira-se em quem lhe aparece à frente, outras vezes vai ao baú da cultura pop e cria imagens que o mundo inteiro reconhece.

A arte efémera que faz é um passaporte para viajar. Breach ganha a vida a participar em eventos especiais, campanhas publicitárias, projetos criativos. Entre uns e outros, vai deliciando os apreciadores do seu talento nas redes sociais (@baristart). E, sim, Breach adora café.

Vê-o em ação e ouve-o em discurso direto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *