Não te esqueças: hoje, dia 19, apaga a luz!

Das 20h30 às 21h30 é hora de ficar às escuras. Pelo planeta, contra as alterações climáticas.

Muitos monumentos nacionais garantiram já ligar-se à iniciativa, desligando as luzes. Da Ponte 25 de Abril às Muralhas de Miranda do Douro, da Igreja dos Agostinhos em Vila Viçosa à Torre de Menagem em Chaves.

Mas a Hora do Planeta quer que cada um de nós adira, também, a esta campanha de mobilização que tem contornos mundiais. No ano passado, houve 172 países a participar.

Ao apagares as luzes à tua volta, hoje, dia 19 de março, entre as 20h30 e as 21h30, sabes que estás a juntar-te, com esse gesto, a milhões de pessoas, em milhares de cidades, vilas e aldeias.

O gesto é simbólico, mas tem a força de recordar a urgência de tomar medidas contra as alterações climáticas.

O QUE FAZER?

Cada um pode apagar as luzes de sua casa, ir para a rua acender velas e participar em eventos que algumas cidades promovem. Em Portugal, houve 107 autarquias a aderir à Hora do Planeta 2016. No mínimo, apagarão as luzes dos Paços do Concelho, mas poderão também deixar às escuras vários monumentos.

Em Lisboa, a “Hora” é assinalada em especial no Parque Eduardo VII, com Carminho e Sara Tavares a protagonizarem “Um concerto pelo Planeta”.

O MUNDO ÀS ESCURAS

A iniciativa já vai para a décima edição. Começou na Austrália em 2007, mais precisamente em Sidney. Nesse ano, mais de dois milhões de pessoas e duas mil empresas apagaram as luzes durante uma hora.

Desde então, o movimento não tem parado de crescer. A organização é da WWF (Fundo Mundial para a Vida Selvagem e Natureza), uma organização não-governamental internacional que trabalha todo o ano com vista a preservar, investigar e recuperar o meio ambiente.

A Torre Eiffel, o Cristo Rei, as Pirâmides de Gizé ou o Vaticano são alguns dos monumentos que já apagaram as suas luzes em nome de um planeta mais “saudável”.

O PORQUÊ DE SER EM MARÇO

O mês escolhido para a iniciativa não é um acaso. Corresponde aos equinócios da Primavera e do Outono nos hemisférios norte e sul, respetivamente. Permitindo a coincidência do pôr-do-sol nos dois hemisférios, consegue-se que o efeito visual deste “apagão” seja maior.

Quem estiver no espaço vai ter a melhor perspetiva e a dimensão exata da campanha a nível global. Ficamos à espera de uma fotografia do momento visto de lá de cima.

Até o Homem-Aranha já se juntou à causa. Vê o vídeo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *